Cirurgião plástico explica como Kylie Jenner teria reduzido o preenchimento labial; confira!

Se tem um motivo pelo qual nós amamos a família Kardashian são as polêmicas que diariamente saem em nome das irmãs. Dessa vez, um cirurgião revelou a People como Kylie Jenner poderia ter removido o preenchimento labial.

No domingo, Kylie respondeu a um seguidor que perguntou o que ela tinha feito na boca, já que estava menor que o normal. A mais nova das irmãs não escondeu o jogo e revelou que retirou todo o preenchimento labial.

heat wave

Uma publicação compartilhada por Kylie (@kyliejenner) em

Como gostamos de tudo explicado nos detalhes, o cirurgião plástico Dr. Nolan S. Karp explicou como isso seria possível e nós dizemos a vocês. Em 2015, Kylie confessou que fazia preenchimentos labiais temporários e, de acordo com o doutor, os temporários são mais fáceis de serem removidos. 

“O temporário é muito melhor porque parte do efeito se esgota. Já os preenchedores de lábios permanentes, depois de preenchidos, não têm mais volta”, disse.

Os preenchimentos temporários costumam ser mais baratos e mais fáceis de colocar, de acordo com o doutor.

“Vamos fazer as bordas se o paciente quiser mais definição, ou se quiser lábios mais grossos ou mais cheios, vamos fazer o lábio em si”, explica.

De 6 em 6 meses ou de ano em ano,  o paciente tem que voltar para manter os preenchimentos temporários. Mas, se alguém não quiser mais eles, basta reduzir o tamanho, assim como fez Kylie. “Eles acabarão por se desgastar. Ela (Kylie) provavelmente não tinha sua manutenção preenchida”, deduziu Karp.

Kylie começou a realizar o procedimento de preenchimento labial aos 16 anos, depois que um namorado falou que achava que ela não baixava bem porque tinha lábios pequenos. Em maio deste ano, ela disse que não estava mais realizando cirurgias plásticas.

Eu sinto que se isso faz você se sentir melhor, e se é isso que você quer fazer, eu não sou contra isso.  No momento, eu provavelmente não faria nada, na verdade”, disse à irmã Kim Kardashian em uma entrevista para a revista Evening Standard.