Famosa influencer revela que recebeu “sete meses de vida” após diagnóstico de doença rara, e faz desabafo emocionante: “Meses mais felizes da minha vida inteira”

Que mensagem linda! A famosa influencer russa Miroslava Duma, que tem 1,66 milhão de de seguidores no Instagram, usou a rede social para um desabafo emocionante: no início do ano, ela descobriu que tinha uma rara doença pulmonar terminal — seus médicos lhe deram apenas sete meses de vida.

Uma das primeiras influenciadoras a se destacar na internet, Duma é presença certa nos desfiles de moda ao redor do mundo desde os primórdios da web, quando blogs ainda exerciam o papel que hoje pertence ao Instagram. Ela era dona do site fashion Buro 24/7 — que hoje não existe mais —, e uma das personalidades preferidas dos fotógrafos de street style. 

Há algum tempo, sua frequência nas redes sociais tem sido inconstante; em julho de 2018, ela anunciou que encerraria sua conta no Instagram. Porém, ela voltou em setembro do mesmo ano. Agora, Duma usou seu espaço online para se abrir sobre sua saúde e tudo que viveu nos últimos meses.

“No início do ano, fui diagnosticada com uma rara doença de pulmão, e me deram sete meses para viver. Foi extremamente assustador na hora, mas olhando para trás, eu percebi que os últimos meses de recuperação foram possivelmente os meses mais felizes da minha vida inteira. Eu repentinamente parei de correr uma maratona e percebi o quanto eu amo a vida, o quão belo nosso mundo é e o quanto eu quero ficar aqui. Com as pessoas que eu amo”, começou seu relato. A influencer afirmou que, após o diagnóstico, começou a ter a real dimensão do mundo a sua volta: “Pela primeira vez na minha vida, eu vi o azul brilhante do céu. O belo verde das árvores. Como se eu tivesse vivido em outro planeta antes. Eu acordo feliz, apenas porque eu posso passar mais um dia aqui. Sem pedir por mais ou tentar correr mais rápido”. 

Duma se deu conta de que certos aspectos de sua vida como influencer a estavam deixando doente. “Minha vida inteira eu estava buscando aprovação e ficando obcecada por ‘curtidas’, tanto no mundo físico quanto no virtual, sem perceber que eu, na verdade, precisava aprender como me ‘curtir’ primeiro. Anos de autocríticas e dúvidas, estresse, dietas, me pressionando fisicamente, mentalmente e emocionalmente, levaram meu sistema imunológico a entrar em colapso, e eu tinha me deixado fatalmente doente”, afirmou.

O prazo inesperado que recebeu acabou a fazendo rever suas prioridades, e consequentemente, encontrar um novo sentido. “Agora, eu percebo que esses últimos meses também foram os meses mais criativos dos meus 34 anos inteiros. Ainda assim, sucesso para mim não é mais mensurado por indicadores externos, mas por aquilo que há por dentro. É mensurado pela minha própria saúde, e a saúde daqueles que eu amo. É mensurado por como eu escolho contribuir com o mundo”, revelou a russa.

Para completar, Duma contou aos seguidores que o fato de ter descoberto a doença cedo, lhe deu uma chance para se tratar e sobreviver, apesar do prognóstico. “Pelos últimos dois anos, o Universo me levou a viver uma série de eventos completamente inesperados que às vezes pareciam surreais; por exemplo, como um simples erro, feito por meu advogado, me levou a um diagnóstico precoce, e me deu uma chance de viver. Eu vi sinais em todos os lugares. Como se alguém estivesse me dizendo: ‘não desista’. Hoje, eu continuo a seguir o meu maior sonho, e acredito genuinamente que ele pode ajudar a salvar o planeta. Não importa o quê. E contra todas as chances. Um dia, eu espero que serei capaz de contar tudo a vocês sobre isso”, disse. No final, ela ainda agradeceu ao apoio das pessoas mais próximas: “E o mais importante: obrigada a todas as pessoas incríveis em minha vida, eu amo vocês com todo o meu coração (e meus pulmões)”. Veja a postagem original:

View this post on Instagram

Earlier this year I was diagnosed with a rare lung disease, and given 7 months to live. It was crazy scary then, but looking back, I realise that the past few months of recovery were possibly the happiest months of my entire life. I suddenly stopped running the marathon and realized how much I love life, how beautiful our world is and how much I want to stay here. With the people I love. For the first time in my life, I saw the bright blue of the skies. And the beautiful green of the trees. As if I had lived on a different planet before. I wake up happy, just because I can spend one more day here. Not asking for more or trying to run faster. My entire life I was seeking approval and obsessing over “likes” both in the physical and virtual worlds, without realizing that I actually had to learn how to “like” myself first. Years of self criticism and doubt, stress, dieting, physically, mentally and emotionally pushing and pushing myself got my immune system to collapse and I had made myself fatally sick. I now realise that these past months were also the most creative months of my entire 34 years. Yet success to me today is not measured by external indicators anymore, but by what’s inside. It is measured by my own health, and the health of those I love. It is measured by how I choose to contribute to the world. For the past 2 years, the Universe caused me to experience a number of remarkably serendipitous events that sometimes felt surreal; like how a silly mistake, made by my lawyer, led me to an early diagnosis, and gave me a chance to live. I saw signs everywhere. As if someone was telling me: “don’t give up”. Today I continue to follow my big dream, and genuinely believe it can help save our planet. No matter what. And against all odds. One day I hope I’ll be able to tell you all about it. And most importantly: Thank you to all the wonderful people in my life, I love you with all my heart (and my lungs 🤓).

A post shared by Miroslava Duma (@miraduma) on