Charlize Theron relembra noite em que mãe matou o pai em autodefesa, e explica por que não tem vergonha de falar sobre o assunto: “Situação sem esperanças”

Que exemplo de mulher! Em entrevista à rádio NPR, Charlize Theron se abriu sobre o episódio de violência doméstica que sua família sofreu nas mãos do pai — e que acabou de forma trágica, com sua mãe matando o marido em autodefesa. Durante o bate-papo, a estrela de 44 anos afirmou que não tem vergonha de contar sua história, e deu um ótimo motivo para isso.

“Meu pai era um homem muito doente. Meu pai foi um alcoólatra durante toda a minha vida”, contou. E acrescentou: “Eu só o conhecia de um modo, e era como um alcoólatra… Era uma situação sem esperanças. Nossa família estava meio que presa nisso. E o dia a dia imprevisível de viver com um viciado é uma coisa que você grava no seu corpo pelo resto da sua vida, mais do que apenas esse único evento que aconteceu uma noite”. 

De acordo com a estrela de “O Escândalo”, sua família não era nada saudável. “Tudo isso, acho, nos assustou de uma maneira. Óbvio, eu desejo que o que aconteceu naquela noite nunca tivesse acontecido. É, infelizmente, o que acontece quando você não trata esses problemas pela raiz”, analisou.

View this post on Instagram

@glamourmag #GlamourWOTY ❤️

A post shared by Charlize Theron (@charlizeafrica) on

Sobre o acidente, Charlize explicou que seu pai chegou em casa após uma longa noite de bebedeira, e as coisas tomaram um rumo infortuno. “Meu pai estava tão bêbado que ele não devia ter sido capaz de caminhar quando ele chegou em casa com uma arma”, relembrou. “Minha mãe e eu estávamos no meu quarto, nos apoiando contra a porta, porque ele estava tentando entrar. Então, nós duas estávamos apoiadas contra a porta do lado de dentro, para impedir que ele invadisse. Ele deu um passo para trás e apenas atirou contra a porta três vezes”, disse.

Continua depois da Publicidade

“Nenhuma das balas nos atingiu, o que foi um milagre. Mas, em autodefesa, [minha mãe] acabou com a ameaça”, concluiu. Para Charlize, passar sua história adiante significa ajudar outras pessoas na mesma situação. “Essa violência doméstica, esse tipo de violência que acontece dentro de uma família, é algo que eu compartilho com muitas pessoas. Eu não tenho vergonha de falar sobre o assunto, porque eu acho que quanto mais nós falamos dessas coisas, mais nós percebemos que nós não estamos sozinhos nisso. Eu acho que, para mim, essa história realmente é sobre crescer com viciados e o que isso faz com alguém”, explicou.

View this post on Instagram

We don’t wanna leaves 🍃

A post shared by Charlize Theron (@charlizeafrica) on

Mãe de duas crianças, a vencedora do Oscar se sente abençoada de tê-las em sua vida. No entanto, como mãe solteira, ela espera viver em um mundo que tenha menos estigma sobre isso. “Tudo que eu esperei acontecer durante meu processo de adoção aconteceu, porque esses dois bebês eram para estar na minha vida. E eles são meus filhos”, afirmou. E adicionou: “Esse conceito do que uma família parece e o que constitui a família ‘certa’ ou uma família ‘forte’, ou o que nós achamos que ela deveria se parecer. Em muitos lugares — e eu acho que até para muitas pessoas nos Estados Unidos — [família] ainda parece algo muito tradicional, no sentido de que toda criança deveria ter uma mãe e um pai”.

Continua depois da Publicidade

Para finalizar, Charlize deixou claro que não concorda com os padrões “aceitáveis” pela sociedade de uma família, e falou em prol de mães e pais solteiros. “Nós meio que aceitamos lentamente essa ideia de duas mães e dois pais, mas não muito a ideia de apenas uma mãe ou um pai. É tão infeliz. Eu conheço tantas pessoas que seriam pais incríveis. Minha luta foi um pouco mais fácil por causa das minhas circunstâncias, mas eu gostaria disso para todas as mulheres que querem dividir suas vidas e criarem uma criança”, garantiu.