Chris Martin revela que questionou a própria sexualidade e que teve muito medo de ser gay na infância: “Eu era muito homofóbico”

A jornada de autoconhecimento foi um tanto complicada para Chris Martin. Em um especial para a Rolling Stone divulgado nesta terça (03), o vocalista do Coldplay revelou que sua adolescência foi cercada de dúvidas sobre a própria sexualidade. Na época, seus pensamentos confusos o levaram a ter um comportamento bastante homofóbico — e ele contou como esse período promoveu mudanças importantes na sua vida.

O astro relembrou os tempos de criança, quando seu jeito de ser o deixava em dúvidas sobre sua sexualidade. “Quando fui para o internato, eu andava meio engraçadinho e eu quicava um pouquinho, e eu também era muito homofóbico, porque eu pensava tipo, ‘Se eu sou gay, estou completamente f*dido por toda a eternidade’, e eu era uma criança descobrindo a sexualidade”, recordou Martin.

Em seu relato, dá pra ver que o pequeno Chris também sentia medo e sofria com o bullying das outras crianças no colégio interno. “[Pensava] ‘Talvez eu seja gay, talvez eu seja isso, talvez seja aquilo, eu não posso ser isso’, então eu estava aterrorizado. Eu andava de forma engraçada, estava num internato com muitas crianças dedicadas e que, por alguns anos, com certeza diziam, ‘Você definitivamente é gay’, de uma maneira muito intensa, me dizendo aquilo de forma bem agressiva, e isso foi esquisito para mim por alguns anos”, contou o músico.

Chris Martin tinha medo de realmente ser gay por conta do preconceito sofrido na infância (Foto: Getty)

Cismado com sua orientação sexual, ele simplesmente não conseguia aceitar a hipótese de ser homossexual. “Eu não sei [se sou gay] e mesmo que eu seja, eu não posso ser porque isso é errado… Se eu for, eu não posso ser'” disse ele, sobre os pensamentos da época. “Eu comecei a me preocupar com isso, é claro”, adicionou o cantor, sobre sua atitude com o passar dos anos.

Após ter sobrevivido ao resto da jornada, Chris entendeu que não haveria nada de mais caso realmente fosse gay. “Aos 15 anos e meio, eu não sei o que aconteceu. Eu estava tipo, ‘É, e daí?’, e então tudo parou da noite para o dia. Foi bem interessante, uma vez que eu estava: ‘É, e daí se eu for gay?'”, comentou.

A maturidade veio acompanhada de uma consciência maior, que o fez entender sua sexualidade e, principalmente, a respeitar isso ainda mais. “Apenas por crescer um pouquinho e ter um pouco mais de exposição ao pensamento do mundo, fiquei pensando ‘Meus maiores heróis são gays’, ou qualquer coisa do tipo. Não importa o que eles sejam, não importa realmente”, declarou sobre quando passou a se entender melhor.

Essa mudança na mentalidade foi tão forte que até o fez repensar completamente suas crenças religiosas. “O que isso fez foi amenizar uma grande pressão e depois me fez perguntar, ‘Ei, talvez algumas dessas coisas que estou aprendendo sobre Deus e tudo o mais, não sei se eu concordo com tudo isso dessa religião específica'”, mencionou Martin.

“Então, por alguns anos, isso estava um pouco oscilando e depois, eventualmente, eu pensei: ‘Okay, eu acho que eu tenho meu próprio relacionamento com o que eu acho que Deus é’, e na verdade, para mim, realmente não é nenhuma dessas religiões”, detalhou o dono do hit “Paradise”.

Dakota Johnson e Chris Martin formam ou não formam um casalzão? (Fotos: Getty).

Afinal, você se pergunta sobre a sexualidade de Chris Martin? De 2003 a 2016, o hitmaker foi casado com Gwyneth Paltrow, com quem teve dois filhos: Apple, de 15 anos, e Moses, de 13 anos. Depois da separação da ex, o cantor engatou em um namoro com a maravilhosa Dakota Johnson. Apesar de rumores de um possível término em junho de 2019, meses depois, em outubro, os dois foram vistos demonstrando afeto em público outra vez. Fofos, né?