Header (11)

Claudia Raia revela como pressentiu morte de Daniella Perez e descobriu pista em encontro com Pádua

Atriz é uma das pessoas que deu depoimento para a série “Pacto Brutal”, que revisita o assassinato da filha de Glória Perez

Claudia Raia vai abrir o coração sobre a morte de Daniella Perez na série documental “Pacto Brutal: O Assassinato de Daniella Perez”, da HBO Max, que estreia nesta quinta (21). A atriz acompanhou de perto a descoberta dos fatos na delegacia, em dezembro de 1992, junto a outros amigos e familiares de Daniella. Ainda no local, ela teve um contato com Guilherme de Pádua, condenado pelo crime, e viu algo que seria revelador no futuro.

Claudia está entre os vários artistas que dão depoimento à série. “Pacto Brutal” conta toda a história do assassinato de Daniella Perez, pela perspectiva de familiares, amigos de Daniella e membros do judiciário. O ator Guilherme de Pádua e a mulher dele, Paula Tomaz, como se sabe, terminaram condenados pela morte.

Continua depois da Publicidade

Quando a jovem de 22 anos sumiu, na noite em que levaria dezoito punhaladas num matagal do Rio de Janeiro, ela deveria estar no ensaio de uma peça que estrelaria. No espetáculo, ela demonstraria seu talento como dançarina. Claudia Raia, que também é bailarina, logo percebeu que o sumiço de Daniella significava algo grave.

“Pra um bailarino faltar a um ensaio, ele tá morto. Tanto que todo mundo falava: ‘Cadê ela?’. Se ela não chegou, alguma coisa aconteceu”, pressentiu Claudia, como conta em um de seus depoimentos para a série. Um trecho da fala da atriz foi divulgado no novo trailer da atração, lançado nesta segunda (18). Assista:

Na época, a mãe de Enzo Celulari era muito próxima de Raul Gazolla (então marido de Daniella e ex-namorado de Claudia). Na madrugada, após reconhecer o corpo de Daniella no matagal, Gazolla ligou para Claudia e pediu apoio dela na delegacia, onde o crime começou a ser investigado.

A atriz logo correu para o local para consolar o amigo, e lá algo inusitado aconteceu. Horas depois do assassinato de Daniella, Guilherme de Pádua foi até a delegacia para prestar condolência a Raul. Na ocasião, ele também abraçou Claudia Raia, e foi então que ela notou algo suspeito.

“Ele ficou ali um tempo, chorando, dizendo: ‘Meu Deus, que loucura isso’. Parecia bastante emocionado, muito indignado com tudo. [Dizia] ‘Como fizeram isso com essa garota, essa menina é um anjo’. Me abraçou também, nem me conhecia”, explicou a atriz à série, segundo o Notícias da TV. “E eu não sei por que olhei o braço do Guilherme. Tinha, na parte do antebraço, um arranhão de unha de mulher. Me chamou a atenção aquilo. Guardei pra mim. Era recente. Estava meio em carne viva, meio sangrandinho”, detalhou Claudia.

“Pacto Brutal” também conta com depoimentos de Gloria Perez, mãe da atriz, de Glória Maria, Fábio Assunção, Maurício Mattar, Cristiana Oliveira, Eri Johnson e do viúvo de Daniella, Raul Gazolla. Assista ao trailer:

Daniella Perez foi morta com 18 perfurações no corpo, em 1992, quando saia de uma gravação da novela “De Corpo e Alma”, da Globo, na qual era protagonista. O autor do crime foi Guilherme de Pádua, que interpretava Bira na mesma trama e fazia par romântico com ela. A esposa dele, Paula Thomaz, também foi condenada por participação no assassinato. Na época, ele alegou que matou a colega por “acreditar que seu papel estava sendo reduzido, enquanto a jovem ganhava destaque”.

Guilherme aguardou o julgamento na prisão, e foi condenado em 1997. Em 1999, no entanto, recebeu a liberdade condicional e abandonou a carreira artística. Hoje, ele vive como pastor em uma famosa igreja evangélica, em Belo Horizonte.