Cleo admite que já tirou proveito de beijo técnico e explica: “As duas pessoas queriam”; Assista

Sempre sincerona, Cleo foi a convidada da vez a participar do quadro “Cada Um No Seu Banheiro”, do canal de Sabrina Sato, e fez revelações sobre a vida pessoal e profissional. Ela contou sobre fetiches, beijos em cena que acabaram fugindo da ficção, e relembrou as fortes críticas que recebeu ao longo da vida por conta de seu corpo.

Super bem-humorada, a cantora admitiu já ter se aproveitado de um beijo técnico em um de seus trabalhos como atriz! “Obviamente, não foi uma coisa que só eu queria. Foi uma coisa que as duas pessoas queriam”, frisou, sem revelar quem era a outra pessoa envolvida. Curiosa, Sabrina perguntou se a produção não percebeu algo a mais na hora da pegação. “As pessoas percebem clima quando não tem, não percebem quando tem. Eu realmente não sei [se elas perceberam], comentou Cleo.

Continua depois da Publicidade

A artista também avisou que nunca chamou para participar de seus clipes ninguém que gostaria de dar uns amassos. “Ainda não parti pra esse momento de convidar um cara que eu quero pegar”, declarou. Ainda falando mais sobre sua vida amorosa e sexual, a atriz revelou que já se fantasiou pra transar. “Foi bom, porque eu gosto de látex”, divertiu-se. “Você fez a dominatrix então?!”, animou-se Sato. “Não, eu fui a submissa, na verdade”, confessou a entrevistada, tirando risadas da amiga.

Abertamente, Cleo também falou sobre a relação com o próprio corpo, após receber críticas por parte do público. “Quando eu senti que estava fora do padrão – e a gente sabe quando está, não precisa ninguém apontar – me escondi durante muito tempo, porque sentia que ia causar um rebuliço que eu não estava a fim de viver”, desabafou.

Daí em diante, ela passou a acompanhar mais mulheres que falavam sobre autoaceitação e aproveitou para aprender mais sobre a luta feminina. “Quando fiquei mais velha resolvi que não ia me esconder quando engordei. O que não é nada de mais, nosso corpo muda, a vida muda. Eu tomei muita porrada, mas me ancorei em muitas mulheres que falavam sobre a quebra dos padrões”, lembrou.

“Entendo que não é uma luta minha, mas nossa, de todas as mulheres. Todas nós temos uma caixinha que alguém inventou que a gente tem que estar dentro. Nós sentimos que, se pisarmos para fora, o nosso mundo vai desmoronar”, completou a artista.

Por fim, a cantora ainda fez um pedido por mais compaixão e sororidade. “Nessas horas, você vê quem está do seu lado também. Tudo bem que eu sempre tive o corpo x, mas de repente, eu não tenho mais. E aí? As pessoas vão se virar contra mim por isso? É um momento que as máscaras caem e você tem muita clareza das coisas. Queria que nós mulheres fossemos mais unidas e não julgássemos umas as outras de forma velada”, concluiu.

Assista à entrevista completa abaixo: