Colega de Meghan Markle em “Suits”, Patrick J. Adams defende a amiga e detona família real: “Falta de vergonha”

Após ser acusada de fazer bullying contra funcionários do palácio de Kensington, Meghan Markle tem recebido apoio dos amigos… Patrick J. Adams, que interpretou seu par romântico em “Suits”, é um deles! O ator saiu em defesa da ex-colega de elenco nesta sexta-feira (5), e ainda criticou a família real, alegando que é “falta de vergonha na cara de uma instituição que tem pouca relevância, pouca credibilidade e, aparentemente, nenhuma decência”.

Em seu Twitter, o astro disparou: “É OBSCENO que a família real, cujo membro mais novo está CRESCENDO DENTRO DELA (o segundo filho de Meghan), esteja promovendo e amplificando acusações de ‘bullying’ contra uma mulher que foi basicamente forçada a fugir do Reino Unido para proteger sua família e sua própria saúde mental”.

Ainda na rede social,  o ator teceu elogios à amiga: “Meghan Markle e eu passamos a maior parte de uma década trabalhando juntos em ‘Suits’. Desde o primeiro dia ela foi um membro entusiasta, gentil, cooperativo, generoso, alegre e solidário de nossa família televisiva. Ela continuou sendo essa pessoa e colega à medida que a fama, o prestígio e o poder acumulavam”.

Ele continuou afirmando que a duquesa “sempre foi uma mulher poderosa, com um senso profundo de moralidade e uma ética de trabalho rígida, e nunca teve medo de falar, ser ouvida, defender a si mesma e a quem ela ama”. 

Continua depois da Publicidade

“Ela se apaixonou, mudou-se para um novo país, tornou-se um nome reconhecido em todo o mundo e começou o difícil trabalho de tentar encontrar seu lugar em uma dinâmica familiar que pode, na melhor das hipóteses, ser descrita como complicada e, na pior, aparentemente arcaica e tóxica”, alfinetou Patrick ao falar da realeza.

Também em seu texto, o ator fez duras críticas à imprensa britânica: “Eu me senti enojado ao ver a forma como a mídia no Reino Unido e no mundo todo a atacou de forma racista e difamatória por todos os lados, mas eu sempre soube que Meghan era mais forte do que as pessoas achavam ou compreendiam, e que eles se arrependeriam de tê-la subestimado”.

Continua depois da Publicidade

Para o ator, a situação melhoraria depois do nascimento de Archie, filho do príncipe Harry e Meghan. “Em qualquer tipo de planeta decente, esse seria o momento de parar de afiar as facas e deixar essas duas pessoas aproveitarem os primeiros meses e anos mágicos de começar uma família. Mas não vivemos neste planeta e, em vez disso, a caça continuou”, escreveu.

Patrick terminou sua série de tuítes com um aviso à família real: “Encontrem outra pessoa para repreender, censurar e atormentar. A minha amiga Meghan está muito além do alcance de vocês”.

Denúncia de bulliyng

A poucos dias da exibição da entrevista histórica dela e do marido para Oprah, a duquesa de Sussex voltou a ser alvo de mais uma polêmica. Jason Knauf, ex-secretário de comunicação do palácio de Kensington, onde o casal morava, a acusou de fazer bullying contra funcionários da família real. Nesta quarta-feira (3), Meghan se pronunciou a respeito da acusação, enquanto o palácio de Buckingham emitiu um comunicado prometendo apurar o caso.

O jornal The Times of London foi o responsável por trazer a história à tona. Um e-mail de Jason enviado em 2018 para alguns colegas acusa Markle de ter “comportamentos inaceitáveis“. “A duquesa sempre tem alguém como seu alvo principal. Ela está fazendo bullying com (os nomes foram omitidos pelo jornal), e buscando formas de destruir a autoconfiança dela. Recebemos denúncias e mais denúncias de pessoas que testemunharam comportamentos inaceitáveis da duquesa em interações com (nome omitido)”, escreveu. Um mês depois da data em que o e-mail foi enviado, Knauf deixou a equipe do palácio de Kensington.

Continua depois da Publicidade

Em comunicado enviado para a revista People, a equipe de Meghan Markle repudiou a acusação, e afirmou que ela está chateada com a situação. “A duquesa está triste com este último ataque ao seu caráter, particularmente como alguém que foi alvo de bullying, e está profundamente comprometida em apoiar aqueles que passaram por essa dor e trauma”, escreveu. “Ela está determinada a continuar seu trabalho construindo compaixão em todo o mundo e continuará se esforçando para dar o exemplo de fazer o que é certo e fazer o que é bom”, encerrou.

Meghan Markle e Harry concederam entrevista bombástica para Oprah Winfrey, que será exibida domingo (7). Foto: Reprodução/YouTube

Realeza se manifesta

O Palácio de Buckingham, por sua vez, garantiu que irá apurar as denúncias: “Estamos claramente muito preocupados com as informações do The Times, após alegações feitas por ex-funcionários do duque e da duquesa de Sussex. Da mesma forma, nossa equipe de RH analisará as circunstâncias descritas no artigo. Os membros da equipe envolvidos no momento, incluindo aqueles que deixaram o palácio, serão convidados a participar [da análise] para garantir que lições possam ser aprendidas. A família real tem uma política de dignidade no trabalho em vigor há vários anos e não tolera e não tolerará intimidação ou assédio no local de trabalho”.