Em papo com Samara Felippo, Fernanda Nobre relembra ‘casamento abusivo’: ‘Vivi oito anos sem saber’

Fernanda Nobre participou de uma live no Instagram com a amiga Samara Felippo nesta semana e teve um bate-papo honesto e aberto sobre feminismo, relacionamentos abusivos e machismo. Na conversa, que ainda relembrou o tempo em que as duas trabalharam juntas em “Malhação”, a atriz revelou que foi o feminismo e o relato de outras mulheres que a ajudaram a perceber que viveu um casamento abusivo.

“Minha mãe é separada, mas não fui criada como feminista. Quando fiz Malhação, por exemplo, eu era muito tensa. Era muito tímida. Não queria errar”, contou a atriz, que interpretou a personagem Bia, inicialmente uma vilã da trama. Tudo mudou na visão dela após ela descobrir mais sobre o conceito.

“O que mudou foi quando surgiu aquela hashtag ‘Meu Primeiro Abuso’, em 2013. Isso me moveu. Foi ali que eu percebi que tava tudo errado e que já tinha vivido milhões de abusos”, relatou ela. “Eu vivi um casamento de oito anos super abusivo, sem saber que era abusivo. Super machista, sem saber que era machista. Eu só fui descobrir isso anos depois que eu me separei. Depois que eu já tava há anos com o Zé. Quem me despertou foram outras mulheres dando seus depoimentos”, desabafou a atriz de 36 anos.

Atualmente casada com José Roberto Jardim, Fernanda teve um casamento anterior, entre 2005 e 2012, com o ator Gabriel Gracindo. “Eu me casei com 21 anos, né, muito jovem, e separei aos 28. Então tive muito da minha juventude anulada. Eu não sabia quem eu era”, pontou, sem citar nomes.

As artistas ainda comentaram sobre o enredo de “Malhação”, que tratava de temas tão importantes nos anos 2000. “A Bia falou de gravidez na adolescência e foi genial o Emanuel [Jacobina, autor] ter abordado isso. A Bia engravidou de um abuso. Foi um estupro do Perereca”, lembrou, citando o personagem vivido por Márcio Kieling.

Por conta da classificação etária, a novela teve cuidado ao narrar os eventos. “Foi muito sutil na época. Não era exposto, nem falado com todas as letras [que a personagem tinha sido violentada], mas ficava subentendido”, completou.

Fernanda ainda acrescentou que, por viver a vilã, enfrentava muitos comentários negativos fora das telas e chegou a engordar por ansiedade. “Logo que eu entrei, enfrentei uma pressão. Tinha uns 16 anos e era odiada pela Bia. Ia para balada e tinha uns homens brucutus que me jogavam cigarro e falavam: ‘Não gosto de você, Bia’”, explicou a atriz, que atuou na trama entre 2000 e 2003.

Confira a live completa: