Icaro Silva Aguinaldo

Ícaro Silva dá a MELHOR resposta após comentários de Aguinaldo Silva sobre Beyoncé: “Racismo te impede sequer de reconhecer”

As falas críticas de Aguinaldo Silva sobre Beyoncé seguem dando o que falar… Após Jéssica Ellen, foi a vez de Ícaro Silva dar uma resposta afiada ao dramaturgo. Nesta quinta-feira (26), o ator de “Coisa Mais Linda” e “Verão 90” escancarou a ausência de representatividade negra nas novelas do autor, e rebateu as queixas contra uma luxuosa campanha publicitária com a diva pop.

“E aí, Aguinaldo, beleza? Não nos conhecemos e é provável que isso nunca aconteça, dado que já sou muito grande para os papéis medíocres reservados aos pretos em suas obras”, iniciou o artista, que apresentou sua mãe logo na sequência e fez referência à Joelly, citada por Aguinaldo. “Me sinto no dever de te apresentar Jô do Espírito Santo, uma mulher preta, nordestina e periférica, que criou dois filhos na favela, sob violência constante, com um salário de faxineira. Isso por que tenho certeza que você não é capaz de falar por Joelly, nem por qualquer outra mulher preta brasileira”, continuou.

Icaro Silva Ma
Ícaro Silva contou a história de sua mãe, Jô, e como ela sempre o ensinou a exaltar o sucesso de pessoas negras. (Foto: Reprodução/Instagram)

Ícaro explicou como sua mãe lhe ensinou a dar valor às conquistas de pessoas negras: “[Ela] me ensinou tudo sobre exaltar e celebrar os nossos em sua ascensão. Me ensinou a torcer por todo e qualquer preto que estivesse posto à prova, como você tenta agora fazer com a imensurável Beyoncé”. Segundo ele, isso sempre guiou suas inspirações e reflexões. “Graças à educação antirracista de Jô, minha referência de infância é a Biba de Cinthya Rachel [Castelo Rá-Tim-Bum] e não a Xuxa de Maria Meneghel. Graças à educação antirracista da minha mãe, aprendi que haveria aqueles que se usariam de sua língua ferina e seu privilégio branco para tentar diminuir nossas conquistas e apontar nosso lugar”, acrescentou.

Continua depois da Publicidade

Então, Ícaro expôs as problemáticas das novelas de Aguinaldo, e afirmou que o autor não poderia falar por outras mulheres negras. “Você não sabe nada de Joelly, Aguinaldo. Não sabe nada de Jô, nem de Beyoncé. É visível que não. Seu olhar viciado sobre a sociedade brasileira, expresso em novelas ainda hoje tão embranquecidas, não contempla nossa história, tampouco nosso tamanho”, declarou o ator.

Icaro Silva Coisa Mais Linda
Ícaro Silva e Pathy de Jesus em “Coisa Mais Linda”, série aclamada da Netflix. (Foto: Divulgação/Netflix)

O grande campeão da primeira edição do “Show dos Famosos” ainda expressou como torce pela exaltação de todas as mulheres negras. “Eu quero Beyoncé carregada de diamantes, Aguinaldo. Quero vê-la coberta da cabeça aos pés das pedras mais preciosas já roubadas do continente africano pelos europeus. Quero ver Beyoncé nadando em um cofre de diamantes como se fosse tio Patinhas, quero ter que usar óculos escuros pra ver Beyoncé, quero que ‘Beyoncé’ seja sinônimo de diamante de 30 milhões de dólares. E o dobro eu desejo para toda e qualquer mulher preta nesse planeta!”, ponderou.

Continua depois da Publicidade

“Beyoncé é o presente e cada vez mais o futuro, Aguinaldo”, apontou Ícaro. O artista ainda concluiu seu discurso certeiro citando uma série de artistas negras brasileiras, afirmando que Aguinaldo não conseguiria compreender isso por uma “ignorância racista”. “Algo que você não consegue identificar e que nunca soube representar. A Elite Preta que o racismo te impede de sequer reconhecer e que torna obsoleta qualquer representação falha proveniente da ignorância racista”, encerrou Silva. Veja a publicação abaixo:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Silva (@icaro)

Entenda o caso

A história começou no início da semana, quando Aguinaldo opinou sobre Beyoncé ter se tornado a primeira mulher negra a usar o raríssimo diamante amarelo Tiffany, avaliado em US$ 30 milhões (cerca de R$ 161 milhões), e quarta pessoa da história a utilizá-lo. “‘Beyoncé se torna a quarta pessoa da história e a primeira mulher negra a usar o Diamante Tiffany’: pois é, mas para mim, justiça social só quando qualquer mulher, independente da raça, idade, religião ou fama puder usá-lo. Isso acontecerá algum dia? O que vocês acham?”, iniciou ele.

Na sequência, o autor de novelas citou o exemplo de outra mulher negra. “Joelly tem 37 anos, é negra, diarista, mãe de três filhos e nenhum pai para ajudar a criá-los. Fico aqui a imaginar o que lhe passa pela cabeça quando ela lê notícias como essa sobre o colar milionário de Beyoncé. Gente, vamos cair um pouco na real, tá legal?”, escreveu o dramaturgo. Pouco depois, Aguinaldo concordou com um seguidor que afirmou que Beyoncé faria parte da elite opressora. “Isso mesmo. Da elite branca”, assentiu.

As falas repercutiram muito nas redes sociais. Na terça (24), Jéssica Ellen se deparou com o discurso de Aguinaldo no perfil do site Mundo Negro no Instagram, e fez um discurso certeiro. “Aguinaldo, vamos falar de Brasil? Quando em suas novelas seus protagonistas tiveram a pele como a minha? Quando em suas novelas a cultura preta brasileira foi abordada para ajudar na autoestima da população preta? Quando eu olho a imagem da Beyoncé poderosa e milionária, penso na potência que nós negros somos e o quanto ela inspira milhares de pessoas pretas no mundo todo”, afirmou Jéssica.

Assets Fotos 776 Um Viaduto Que Corta A Cidade Cenografica F4dcfcfcdd67
Jéssica Ellen, que brilhou em “Amor de Mãe”, lamentou a falta de protagonismo negro nas novelas – como as de Aguinaldo. (Foto: Globo/João Cotta)

A intérprete de Camila em “Amor de Mãe” também lamentou a falta de mulheres negras em papéis de destaque na TV. “Em pleno 2021, a lista de protagonistas pretas na TV brasileira não chega nem a 5 nomes… E não é por falta de talento e sim oportunidades”, escreveu ela.

Continua depois da Publicidade

Jéssica ainda concluiu: “O problema do Brasil não é a Beyoncé ser milionária, é a elite branca se incomodar com nossa autonomia e ascensão social. O problema é AINDA sermos vistos APENAS como descendentes de escravizados e não REAIS POTÊNCIAS! O problema é ter um país com mais de 50% da população preta e isso nem sequer está representado nos filmes e novelas…”. Confira o comentário: