Jennifer Aniston afirma que reboot de “Friends” “arruinaria a série” e dá detalhes de reunião recente do elenco; confira!

Fã que é fã sabe que nunca é tarde para sonhar… mas cair na realidade é essencial. Nesta segunda-feira (07), Jennifer Aniston teve de responder novamente sobre fazer ou não um revival de “Friends”. A musa revelou o que ela pensa sobre essa questão e recordou uma recente reunião da “turma do terceirão” de seu elenco. Além disso, ela se abriu sobre uma situação incômoda e polêmica que viveu com Harvey Weinstein.

Nossa eterna Rachel Green compartilhou seu receio sobre fazer uma nova produção baseada em “Friends”, ou mesmo uma continuação. Em entrevista a Howard Stern, ela contou que todos teriam muito apreço em participar de algo assim: “Nós amaríamos isso”. Contudo, sempre há uma ressalva…

Jennifer Aniston e o elenco lindo de “Friends” (Foto: Reprodução/Warner Bros.)

Para ela – e, aparentemente, para todo o elenco – seria arriscado demais fazer uma aposta dessas. Então, nesse caso, eles preferiam não correr o risco… “Existe uma ideia de que se tivesse um reboot da série, não chegaria nem perto de ser tão bom quanto era. Então, pra que fazer isso?”, opinou. Em seguida, ela concordou com o apresentador, comentando que “arruinaria” as boas memórias.

View this post on Instagram

It’s been 15 years since Jennifer Aniston signed off as Rachel Green on #Friends. In that time, she’s received plenty of offers to return to TV, but she hadn’t been tempted by any of them. “I was doing so many films at the time,” Aniston says on a recent afternoon, sitting in the living room of her Bel-Air mansion, as her two dogs — Clyde and Sophie — scamper around her. “So I never thought, ‘Oh I’m nostalgic.’” And she didn’t think anything could compare with the professional experience of #Friends anyway. “If I was going to go back anywhere, that’s where I would want to go. Meaning in my mind.” In Variety's Power of Women issue, Aniston opens up about working with Harvey Weinstein, how she felt about Matt Lauer's abusive behavior, and the real reason why they never did a #Friends movie. Link in bio. (📸: @peggysirota)⁠ ⁠

A post shared by Variety (@variety) on

A musa estampa uma das capas da Variety desta semana, na edição “Power of Women”. No bate-papo com a publicação, Aniston também abordou a questão de “Friends”. A diferença é que ela explicou por que nunca fizeram um longa sobre a sitcom. “Porque nossos produtores não iam querer isso, não iam nos deixar [fazer isso]. Olha, e não tem sido sem nosso desejo, porque nossos fãs querem isso demais”, afirmou ela.

Como ela explicou, em certos momentos, o elenco até toparia. Jennifer até imaginou o que poderia ser feito nesse reboot hipotético… No entanto, ainda ficou dividida sobre a questão. “Teria sido divertido [fazer algo juntos de novo]. Nós poderíamos reestruturar isso por alguns episódios. Mas tanto faz. Talvez seja melhor dessa forma, mas nós nunca vamos saber”, declarou. Assista:

Aliás, por falar em “Friends”, nossa fada abriu o jogo sobre uma reunião que realmente saiu do papel. Ela contou que todos estiveram juntos novamente num jantar e se divertiram à beça. “Todos estavam lá… [David] Schwimmer estava na cidade e acontece que todos nós tínhamos uma janela de tempo, então nos reunimos… Nós rimos tão alto”, lembrou ela sobre a socialzinha na casa de Courteney Cox. Pena que o Ross não apareceu na foto com nossos Joey, Rachel e Monica, né? Pouco depois, ela confirmou que esses momentos aumentam a saudade de gravarem juntos com frequência. Olha que fofinhos!

View this post on Instagram

A rare night and I love it.

A post shared by Courteney Cox (@courteneycoxofficial) on

Em outro momento da entrevista, ela revelou detalhes de como foi quando Harvey Weinstein tentou intimidá-la. Para quem não se lembra, o ex-produtor renomado de Hollywood recebeu mais de 80 acusações de abuso sexual. A polêmica, inclusive, deu origem ao movimento “Me Too”, que incentivou e expôs inúmeros casos de violência sexual na indústria cinematográfica norte-americana.

A estrela trabalhou com Harvey em “Fora de Rumo”, seu filme de 2005. Ela recordou de uma cena no jantar da première, em que o produtor teve seu momento “diva” e acabou humilhando outros ao redor. “Eu lembro que estava sentada à mesa com Clive [Owen], e nossos produtores e um amigo meu estavam se sentando comigo. E ele [Harvey] literalmente chegou à mesa e disse ao meu amigo: ‘Levanta!’. E eu estava tipo, ‘Ai, meu Deus’. Então, meu amigo se levantou, mudou de lugar, e Harvey se sentou”, relembrou ela.

Até hoje, a intérprete de Audrey em “Mistério no Mediterrâneo” não superou tudo o que aconteceu na ocasião. “Foi um nível tão grande de tirar vantagem e ter comportamento como de um porco”, reclamou ela, indignada. Mas isso não se compara à ocasião em que ele tirou ela do sério com um pedido… inapropriado.

Harvey Weinstein entrando na Suprema Corte Estadual de Nova York em julho. (Foto: Spencer Platt/Getty Images)

Segundo ela, o cineasta tentou persuadi-la a usar um vestido da grife de sua ex, Georgina Chapman. “Eu lembro, foi bem quando a Marchesa, a linha de roupas da Georgina, estava começando. Foi quando ele veio me visitar em Londres enquanto estávamos filmando. Ele estava tipo, ‘Ok, então, eu queria que você vestisse algum desses na première”, iniciou a atriz.

Aniston sentia que aquilo não fazia sentido, e não queria usar uma roupa que não fazia seu estilo. “E eu olhei pelo catálogo e, na época, não era o que é hoje em dia. Não era para mim. Ele estava tipo, ‘Você precisa usar o vestido’. Esse foi meu único bullying”, mencionou ela.

Sem ceder à pressão de Weinstein, ela se negou a cumprir seu desejo. “Não, eu não vou usar esse vestido”, concluiu. Então, ficou a dúvida sobre como ele teria reagido a sua negativa. A isso, Jen rebateu: “Bom, o que ele poderia fazer? Vir aqui e me obrigar a usá-lo?!”. Afiadíssima! Ao menos, podemos agradecer por nada pior ter acontecido…