Fotojet (2)

Justin Bieber arquiva ação de R$ 97 milhões contra mulheres que o acusaram de agressão sexual

O cantor já havia se defendido publicamente contra as acusações e chegou a apresentar provas de que sequer estava no mesmo lugar que as mulheres

Na última semana, Justin Bieber decidiu arquivar seu processo contra a jovem Khadidja Djibrine, que alegou ter sido agredida sexualmente pelo cantor em 2015. O canadense também tinha aberto uma ação por calúnia contra uma mulher identificada apenas como Danielle, mas que nunca foi localizada. Logo, o artista também preferiu colocar um fim no imbróglio judicial. As informações são do TMZ.

Djibrine afirmou que o assédio teria acontecido em 5 de maio de 2015 no Langham Hotel, em Nova York. “Ele começou a me beijar, tocando meu corpo e me acariciando. Pedi que ele parasse e continuei dizendo que não podia fazer sexo com ninguém antes do casamento”, falou. Danielle apareceu no Twitter alegando que Bieber teria cometido o mesmo crime, mas em 9 de março de 2014, no hotel Four Seasons de Austin.

Segundo ela, Bieber teria tirado as calças e a cueca e fez uma” penetração forçada e sem consentimento”. “O que aconteceu comigo não foi bom”, compartilhou. Em 2020, o astro decidiu se posicionar sobre as acusações com provas de que era impossível ter acontecido algo, já que nesta data, ele estava com sua então namorada, Selena Gomez.

Continua depois da Publicidade

Bieber reuniu notícias divulgadas na imprensa e registros de transações financeiras daquela data. “Não costumo falar sobre as coisas, pois lidei com acusações aleatórias durante toda a minha carreira, mas depois de conversar com minha esposa [Hailey Baldwin] e equipe, decidi falar sobre um problema hoje à noite. Rumores são rumores, mas [a acusação de] abuso sexual é algo que não considero levianamente”, escreveu.

Biebs
Justin Bieber chegou a expor nota fiscal de estadia em um hotel diferente do que foi apontado na acusação. Foto: Reprodução

O artista abriu um processo contra as duas por difamação e pedia uma indenização no valor de US$ 20 milhões, cerca de R$ 96,7 milhões na cotação atual do dólar. “Elas planejaram fraudulentamente buscar atenção e fama ao postar maliciosamente acusações desprezíveis, descaradamente falsas, fabricadas e difamatórias de que Justin Bieber se envolveu em agressão sexual”, argumentou a equipe jurídica do cantor na ação, acrescentando ainda acreditar que as duas acusadoras trabalhavam juntas ou poderiam ser uma pessoa comandando perfis falsos na web para difamar o cantor.

O canadense sempre negou ter qualquer tipo de envolvimento nas acusações e garantiu ter “provas indiscutíveis” da sua inocência. De acordo relatos ouvidos pelo The Independent, Bieber e Djibrine tiveram uma tentativa de mediação sem sucesso. Danielle nunca foi localizada, mas havia um julgamento marcado provisoriamente para maio.

Continua depois da Publicidade

Nesta terça-feira (22), o advogado de Bieber, Evan Spiegel, conversou com a NBC News sobre a decisão de Bieber. “Justin decidiu seguir em frente e arquivar o caso por difamação aberto em 2020″, disse brevemente, ressaltando que o artista acredita já ter comprovado qual era seu ponto nesta história toda.