Kauan se abre na TV sobre travessia perigosa para chegar aos EUA: “Emagreci 15 quilos e passei por gente morta”

Em busca de uma vida melhor, muita gente tenta entrar ilegalmente nos Estados Unidos, correndo risco de vida e pagando verdadeiras fortunas a coiotes. Isto aconteceu com o sertanejo Kauan, da dupla Matheus & Kauan. Durante o “Conversa com Bial” desta terça-feira (7), o músico relembrou a “aventura bem louca” que fez aos 17 anos, quando estava desacreditado na carreira musical e queria viver novas experiências.

O apresentador Pedro Bial chegou a exibir uma cena da novela “América” para mostrar ao público um pouco do que as pessoas passam na perigosa travessia. “Acho que é bem pior”, revelou Kauan sobre a realidade. De acordo com o artista, tudo aconteceu muito rápido: em três dias ele decidiu seguir para os Estados Unidos e comprou passagem. Porém, para chegar ao tão sonhado destino, precisou primeiro passar pelo Panamá, pela Guatemala e pelo México.

De acordo com a mãe, Dona Sirlene, que assistiu o bate-papo da plateia e também deu sua versão dos fatos, ela até ofereceu um carro ao filho para o fazer desistir da ideia, sem sucesso. “Essa aventura dele quase me mata de tanta preocupação”, disse a senhora, emocionada. Ela lembra que o filho passou fome — de acordo com Kauan, nos 26 dias que a viagem durou, ele perdeu 15 kg. “Teve um dia que eles me ligaram e me mostraram que ele estava passando fome, foi muito pesado. Eu pedi para falar com ele para saber se ele estava vivo”, recordou. E confessou: “Foi só tensão na minha vida”. Sirlene recebia ligações constantes dos coiotes para mandar mais dinheiro. No final, gastou muito mais do que o valor de um carro.

(Fotos: Reprodução/Globo)

Kauan relembrou todos os perrengues e situações traumáticas que vivenciou. “Em uma casa que cabiam 50 pessoas, tinham 200. Era muito louco, nem sei se hoje em dia é assim. Caminhei no deserto e passei do lado de gente morta, animais. Liso e sem nada, emagreci 15 kg na trajetória. Chegou um momento que pensei que não podia mais caminhar e eles te deixam pelo caminho, tem que esperar a polícia chegar para te levar de volta”, disse.

O irmão Matheus chamou atenção para a falta de comunicação que havia entre eles durante o período: “Ele deixava todo mundo doido, demorou bem mais tempo para chegar. O pessoal ligava lá em casa, falando em espanhol, pedindo mais dinheiro para liberar ele para outro ponto. Lá, pediam mais ainda”. 

Após toda a batalha para chegar aos Estados Unidos, Kauan foi para Atlanta, onde tinha parentes. “Comecei a trabalhar em obra mesmo, com meu primo. A galera viu que eu cantava e comecei a fazer shows em barzinhos brasileiros. Voltei [para o Brasil] mais liso do que fui e vi que queria uma história nova na música”, contou. De acordo com o cantor, a experiência o fortaleceu para tudo o que encarou depois, no caminho para o sucesso. Confira o relato, clicando aqui.