Kim Kardashian corre contra o tempo para livrar homem da pena de morte; Irmão de detento faz agradecimento emocionado: ‘Você é uma benção’

Kim Kardashian continua em sua missão de libertar pessoas presas por crimes que não cometeram, mas desta vez, ela está correndo contra o tempo. De acordo com o TMZ, a empresária está tomando todas as medidas a seu alcance para reabrir o caso do presidiário Rodney Reed, cuja sentença de morte está marcada para 20 de novembro.

Fontes com conhecimento direto da situação contaram ao site que Kim está em contato com oficiais de alta patente do governo do Texas para pedir que eles suspendam a execução. A aspirante à advogada acredita que o surgimento recente de novas testemunhas e evidências indicam a inocência dele.

Segundo o TMZ, na semana passada, a beldade falou pessoalmente com Rodney, contando que estava trabalhando de perto para ajudá-lo no caso. Ela enviou ao governo uma carta que o irmão do presidiário, Rodrick, escreveu para ela, pedindo ajuda e explicando a inocência de Reed.

Kim ainda estaria fazendo sua parte nos bastidores, ao providenciar recursos legais para o acusado tentar se manter longe da execução. No meio de outubro, ela também já havia falado publicamente sobre o caso.

“Por favor, governador Abbott, como você pode executar um homem que, desde o julgamento, já recebeu evidências substanciais que o exonerariam e até implicam em outro suspeito? Eu suplico que você faça a coisa certa”, pediu ela no Twitter, gerando atenção para a situação.

Nesta segunda, o irmão de Reed postou um agradecimento à Kardashian dizendo: “Eu quero que você saiba que é uma bênção de Deus para a minha família – mais do que você pode compreender nessa vida. Você é uma bênção para todas as famílias que ajuda. Nós estamos muito felizes que você expressou publicamente que também acredita na inocência dele”.

Rodney Reed foi condenado pelo assassinato de Stacey Stites há mais de 20 anos. Os policiais disseram que ele teria a estuprado, violentado e estrangulado até a morte. Entretanto, Reed sempre afirmou sua inocência e, recentemente, um outro presidiário veio a público, dizendo saber quem era o verdadeiro culpado.

Arthur Snow preencheu documentos legais afirmando que o próprio noivo de Stacey confessou tê-la matado por essa ter “dormido com outros caras”. Na época, os detentos supostamente participavam de uma irmandade ariana juntos no presídio. O noivo estava preso por um crime diferente, mas negou o assassinato.