Leonardo faz ‘piada’ ao comparar coronavírus com HIV e compartilha informação falsa sobre AIDS; Cantor é detonado na web: “Ignorante e irresponsável”

Leonardo fez um discurso controverso durante o seu show na cidade de Catanduva, no interior de São Paulo, nesse domingo (15). Enquanto conversava com o público sobre coronavírus, o cantor fez ‘piada’ ao comparar o ‘SARS-CoV’ com o ‘HIV‘ e deu uma informação errada sobre os casos de AIDS no Brasil.

“Trinta milhões de pessoas no Brasil têm HIV. Trinta milhões. Vamos ser sinceros… ninguém usa camisinha. Agora 900 casos de [coronavírus], mas tem que usar máscara! Eu cheguei à conclusão de que a gente morrer f*dendo é melhor que morrer tossindo”, falou. Assista:

No entanto, segundo dados do Ministério da Saúde, estima-se que cerca de 866 mil pessoas vivam com o vírus HIV no Brasil, número 34 vezes menor que o mencionado por Leonardo. Além disso, não faz o mínimo sentido colocar as doenças no mesmo patamar atualmente uma vez que o Covid-19 é considerado uma pandemia, enquanto a epidemia do HIV já foi estabilizada.

Na web, a declaração do artista ainda foi extremamente criticada por tirar sarro de uma situação séria. “O cara teve um irmão que morreu de câncer, um filho que quase morreu em acidente, um outro filho com doença autoimune rara e uma filha jovem com problemas cardíacos. Se tem uma pessoa que não deveria desdenhar de possibilidades remotas é o Leonardo. Mas, né, o que esperar?”, lamentou um internauta.

“Isso é tão desrespeitoso com quem está numa UTI lutando pela a própria vida… pelos médicos e enfermeiros que exaustivamente trabalham, pelas pessoas que nesse período choram a perda de um caro… É o cúmulo do egoísmo e mau caratismo”, apontou uma mulher. “Eu não estou acreditando nos absurdos que ando lendo/ouvindo nesses últimos dias. Como pode alguém ser tão ignorante e irresponsável? Me faltam palavras suficientes de indignação. Parece que tô presa num pesadelo ou num filme de terror”, concordou outra.

“Sabe qual é o problema do brasileiro? Falta de empatia, desinteresse pela dor do outro. Ele sabe como é ter que fazer exames rotineiros? Sabe como é ser sempre considerado grupo de risco? Tomar remédios com efeitos colaterais todos os dias?”, questionou um usuário do Twitter. “Um desrespeito a pessoas soropositivas e aos pacientes com coronavírus em estado mais grave”, afirmou outra.