Fotojet (5)

Luisa Sonza relembra ataques em meio à separação com Whindersson Nunes, e reflete sobre superação: ‘Depende’; assista

Cantora ainda relembrou relação com Marília Mendonça, que morreu no ano passado

Luísa Sonza está no auge de sua carreira. Mas a caminhada até aqui não foi das mais fáceis… Ao longo dos anos, a cantora foi alvo de ataques de ódio por diversas vezes — uma delas, após o término do relacionamento com Whindersson Nunes. Em recente entrevista concedida a Leo Dias, do portal Metrópoles, a artista se abriu ao falar sobre como superou as duras críticas que recebeu durante esse período.

“No meu primeiro relacionamento midiático, eu só tomava porrada. Eu era a p*ta, a interesseira, a vagabunda, o car*lho a quatro. Tudo que a gente vive na nossa vida, nos torna quem nós somos. Se superei? Depende. Se for ser mais madura pra entender, sentir menos raiva, lidar bem com o ódio que vem, acho que hoje em dia eu lido melhor. Se isso é superar, acho que sim, mas quem apanha, nunca esquece”, afirmou.

Continua depois da Publicidade

Luísa também contou que toda essa negatividade gerou inseguranças pessoais. “Era muito insegura antes do ‘Doce 22’. Eu sabia que eu cantava bem, mas nunca conseguia performar bem porque sempre que ia cantar ao vivo, vinha um boicote muito grande na minha cabeça: ‘Você canta mal, você é ruim, todo mundo vai falar mal de você no Twitter’. Era bem horrível mesmo. Tive que provar para mim mesma que eu era boa”, analisou.

A estrela ainda falou sobre comentários negativos feitos em torno da primeira apresentação ao vivo de “Café da Manhã”, música com Ludmilla. Sonza, que se despiu de algumas peças de roupa no palco, explicou a ideia por trás disso. “Tem uma galera que não gosta de mim e fica tendenciando uma parada. Como no último show. Existia um contexto. Eu estava de biquíni. A Madonna fez isso nos anos 80. Eu estava me despindo da era antiga. Estava com uma roupa de látex… Foi dois segundos de um show f*da com muito vocal e todo tipo de entretenimento que fiz”, pontuou.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por LUÍSA SONZA (@luisasonza)

Sobre o gesto ser considerado “apelativo”, ela rebateu: “Não é nada apelativo. Seria meu último show antes da era dark… Era eu festejando e me despindo. Estava com um biquíni, que nem era pequeno. Fui lá no final do palco, onde a galera nem via. A intenção desse final era terminar a era feliz. Ser artista tem que ser audacioso! Se eu não fosse audaciosa, eu estaria em um banco. A gente tem que estar disposto a sair fora da caixinha, a se arriscar… Meu corpo é da arte. Quando estou no palco, não tenho vergonha de nada. Estou de peito aberto”.

Marília Mendonça

Ainda durante a entrevista, Luísa falou sobre a sua relação com Marília Mendonça, que faleceu no ano passado. Saudosa, a loira disse ter se aproximado muito da sertaneja após gravar “Melhor Sozinha”. “Eu sofri e senti por vários motivos. Nos últimos meses, a gente se aproximou muito, pude viver como se conhecesse ela há anos. Fico triste por ter tido tão pouco tempo, mas também feliz por ter tido tempo. Ela sempre foi uma grande inspiração pra mim. Tenho amor de fã por ela. Ela é um gênio em tudo o que fez, pessoa iluminada e que faz uma diferença na nossa música brasileira”, declarou.

Assista à entrevista na íntegra: