Marina Ruy Barbosa se pronuncia sobre posicionamentos políticos do pai e declara: “Não concordei com a escolha dele”

Recentemente, Paulo Barbosa, pai de Marina Ruy Barbosa, tem usado seu perfil no Instagram para fazer severas críticas ao atual cenário político do Brasil. Assumidamente eleitor de Jair Bolsonaro, o empresário aderiu também à campanha “Somos 70%”, criada pelo economista Eduardo Moreira, que aponta que 70% do Brasil reprova o presidente.

Desde as últimas eleições, Marina tem sido bastante cobrada pelos fãs a declarar seu voto. Em entrevista à edição de junho da revista Veja, que chega às bancas na próxima quarta (10), a atriz comentou sobre as manifestações públicas de seu pai e, sem entrar em detalhes, deu pistas sobre suas crenças políticas.

Continua depois da Publicidade

“Meu pai não é uma figura pública e estranho esse interesse [pelo posicionamento político dele]. Eu sou a pessoa pública e não votei no candidato do meu pai. Não concordei com a escolha dele, não compactuo em nada com a atual política. Mas o voto é um direito garantido e ele fez uma escolha”, enfatizou.

Mesmo diante de um resultado que não lhe agradou, Marina disse ter tentado se manter otimista. “O cenário não era promissor, mas não gostaria de ver o país em mau estado. Tentei acreditar (percebo que fui ingênua) em uma mínima possibilidade de as coisas não irem para o caminho lamentável que foram. Mas tudo o que pensávamos se confirmou. Só aprende quem erra. E meu pai está revendo suas posições. É bom porque mostra que, como eleitor, ele está atento e disposto a evoluir e mudar de pensamento”, declarou.

Além de aderir à campanha mencionada previamente, Paulo também fez publicações clamando por democracia e abominando a ideia de uma nova ditadura. “Pela democracia no Brasil” e “Ditadura nunca mais”, foram algumas das frases usadas nas legendas das postagens. Em resposta a alguns comentários dos seguidores, o empresário se referiu ao presidente como “Bozo” e “psicopata”.

“Sabe que eu ficava muito ofendido quando chamavam ele de Bozo? Entendo você totalmente!”, escreveu ele, ao ler as reclamações de uma seguidora. “Porém, agora eu acho que chamá-lo assim é até muito suave, pois o Bozo é um palhaço que traz alegria para as pessoas, já o psicopata tem uma mente extremamente maligna”, continuou.

Barbosa também se mostrou arrependido te ter apertado 17 nas urnas eleitorais. “Sem dúvida alguma foi o PT (Partido dos Trabalhadores) que elegeu o Bozo, depois de 14 anos saqueando o Brasil. Se eu pudesse escolher, votaria no (João) Amoêdo (Partido Novo), mas ele ficou no primeiro turno. Votei no Bozo torcendo para que ele fizesse um bom governo. Infelizmente, está sendo um desastre. Estamos numa democracia, e vamos buscar os meios legais para o bem do país”, afirmou.