Famosos

Michelle Obama surpreende ao revelar reação de rainha Elizabeth sobre o protocolo real

Pedro Hosken - Publicado em 04/12/2018 às 18:18
Compartilhe: Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Pinterest Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no E-mail

A gente ouve tanto falar por aí do protocolo real e de supostas exigências da rainha Elizabeth II que uma recente declaração de Michelle Obama sobre o assunto chega a ser surpreendente! Em evento nesta terça (4) em Londres, para promover sua autobiografia “Becoming: A Minha História”, a ex-primeira dama recordou do encontro com a monarca, no Castelo de Windsor, em 20016.

Segundo Michelle, ela teria ficado preocupadíssima com a ocasião e se preparou para não se esquecer de nenhuma regra. “Eu estava com todo esse protocolo na minha cabeça, e eu ficava tipo ‘não caia nessas escadas e não toque em ninguém, independente do que aconteça’. E então a rainha diz: ‘entre, sente-se em qualquer lugar’ e ela está lhe dizendo uma coisa e você está lembrando do protocolo. Por fim, ela falou: ‘Ah, é tudo besteira, é só entrar’“, compartilhou Obama, levando a plateia lotada, aos risos. E se a própria Betinha disse que não passa de uma bobagem, Michelle não resistiu: “Eu toquei nela. Antes de todas essas lições sobre protocolo, eu sou humana“.

Antes de cumprir e lembrar de todos os protocolos, a gente já teria desmaiado! E se bobear até pra cair deve ter o jeito certo hahahaha (Foto: Chris Jackson – WPA Pool/Getty Images)

Ela é inteligente, engraçada e sincera“, prosseguiu ela sobre Elizabeth, revelando uma grande admiração do marido, Barack pela rainha. “Ela o faz lembrar de sua avó Toot“, contou. Em outro momento, questionada sobre ser considerada um “símbolo de esperança”, Michelle confessou ainda se esforçar para acreditar em si mesma. “Eu ainda tenho uma pequena síndrome de impostor, nunca desaparece. Não vai embora a sensação de que vocês não deveriam me levar tão a sério“, esboçou.

Não adianta. As pessoas se importam e muito com o que Michelle tem a dizer. Prova disso é que seu livro – lançado em 13 de novembro – ultrapassou a marca de 2 milhões de exemplares vendidos em apenas duas semanas. Foi o suficiente para que “Becoming” se tornasse o livro mais vendido dos EUA no ano de 2018.