Famosos

R. Kelly é acusado formalmente por 10 casos de abuso sexual a menores de idade; saiba detalhes

Jonas Lirio - Publicado em 22/02/2019 às 22:03
Compartilhe: Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Pinterest Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no E-mail

O tempo fechou de vez para o cantor R. Kelly. Depois do bombástico documentário com as várias acusações contra o cantor, nesta sexta (22) ele foi acusado formalmente por dez casos de abusos sexuais. De acordo com o TMZ, nove das dez acusações recebidas envolvem vítimas menores de idade, e os casos teriam acontecido entre 1998 e 2010. A justiça norte-americana recebeu também um vídeo que mostra o cantor fazendo sexo com uma adolescente de 14 anos.

Segundo os documentos obtidos pelo site, as denúncias incluem relatos de sexo oral, anal e vaginal com as supostas vítimas, muitas vezes mediante o uso de força ou intimidação. O TMZ afirma que um vídeo usado como prova para as acusações formais mostra R. Kelly tendo relações sexuais com uma adolescente de 14 anos, que chega até a mencionar sua idade na gravação. Avenatti liberou uma captura de tela do vídeo — clique aqui para ver.

R. Kelly já foi acusado inúmeras vezes ao longo da carreira de abuso sexual, mas nunca foi condenado. (Foto: Michael Loccisano/Getty Images)

Caso seja condenado, o cantor pode pegar de 3 a 7 anos de prisão por cada uma das acusações. De acordo com a Associated Press, R. Kelly pretende se entregar à polícia ainda nesta sexta. Seus advogados afirmam à agência de notícias que ele está “extraordinariamente decepcionado e depressivo” com as acusações. Segundo eles, R. Kelly teria se oferecido para conversar com os promotes antes das acusações serem registradas para mostrar “porque elas não têm fundamento”, mas eles teriam se recusado.

O cantor já havia enfrentado um processo por motivos do mesmo tipo em 2008, mas foi declarado inocente. Para Michael Avenatti, advogado de defesa de uma das supostas vítimas, o processo anterior teria sido manipulado com várias formas de obstrução da justiça e intimidação de testemunhas. A primeira sessão do novo julgamento deve acontecer em 8 de março.

Desde o início de janeiro, o cantor de “I Believe I Can Fly” está no centro das atenções após a série documental “Surviving R. Kelly”, exibida nos Estados Unidos, ter explorado as décadas de abusos sexuais supostamente cometidos pelo cantor, até então um nome muito respeitado por artistas e pela indústria. Artistas como Celine Dion e Lady Gaga, que trabalharam com o cantor no passado, retiraram suas colaborações da internet.