Reese Witherspoon recorda de quando foi presa e algemada em 2013, e mostra arrependimento: “Tão vergonhoso e estúpido”

Arrependimento daqueles… Nesta semana, no último episódio do podcast “I Weigh”, Reese Witherspoon recordou do dia em que foi algemada e presa com seu marido, Jim Toth. No papo com Jameela Jamil, ela ainda abordou diversas questões e dificuldades que já enfrentou em relação a sua saúde mental.

Quanto ao incidente de 2013, Reese deixou claro que se arrepende: “Eu fiz algo realmente estúpido. Isso foi tão vergonhoso e estúpido”. Contudo, a protagonista de “Legalmente Loira” não pega tão pesado consigo mesma. “Mas quer saber? Acontece que eu respiro ar. Eu sangro do mesmo jeito. Eu tomo decisões burras. Eu tomos decisões boas. Eu sou apenas um ser humano”, completou a atriz.

Reese Witherspoon se arrependeu do episódio em que foi presa, lá em 2013. (Foto: Getty)

Na época, Reese e Jim foram detidos em Atlanta, após ele ter sido enquadrado com a suspeita de dirigir alcoolizado. A artista, por sua vez, foi algemada por ter desrespeitado a ordem dos oficiais de ficar dentro do veículo. Diante da Justiça, ela não contestou as acusações, enquanto o marido declarou-se culpado. Em maio de 2013, a atriz se desculpou em rede nacional no “Good Morning America”. Relembre:

“Isso é apenas completamente inaceitável, nós sentimos muito, estamos envergonhados e não deveríamos ter feito aquilo”, lamentou a estrela de “The Morning Show”, na época. Agora, sete anos após o ocorrido, Jameela a elogiou pela atitude sensata. “Você se desculpou e se sentiu tão envergonhada de uma maneira que foi revigorante pra mim”, elogiou a intérprete de Tahani em “The Good Place”.

Na conversa, Witherspoon recordou também sua luta contra a depressão. “Minha ansiedade se manifesta como depressão, então eu ficava realmente deprimida – é como se meu cérebro fosse como um hamster numa rodinha e não conseguisse sair de lá. E eu tenho cuidado disso a minha vida toda. Minha avó sofria do mesmo problema”, lembrou ela, que também celebrou ao comparar o quanto o mundo avançou desde a época de sua avó, que foi estigmatizada por essas questões.

Ouça a conversa na íntegra aqui: