Fotojet (2)

Ricky Martin revela trauma após pergunta inesperada sobre sexualidade e manda a real sobre seus romances com mulheres no passado

Sincerão! Junho é considerado, ao redor do globo, o mês em que se comemora o Orgulho LGBTQIA+ e, para marcar a data, a People lançou uma edição especial “Pride” da revista, que tem em sua capa o rei do Pop Latino, Ricky Martin. Além de falar de sua carreira, o cantor abriu o coração sobre uma situação desconfortável que viveu na televisão antes de assumir sua sexualidade ao mundo.

O momento em questão aconteceu em 2000. Na época, rumores persistentes de que Ricky era gay circulavam na mídia internacional. Os boatos cresceram exponencialmente até que, durante uma entrevista com Barbara Walters, o cantor foi colocado contra a parede.

Continua depois da Publicidade

“Você poderia acabar com esses rumores”, implorou Walters. “Você poderia dizer: ‘Sim, sou gay ou não'”, insistiu ela. Martin, por sua vez, ficou visivelmente atordoado e incomodado com a pressão, até que afirmou que preferia não comentar o tema.

No entanto, 20 anos após o ocorrido, o artista latino contou à People que a situação ainda o assombra diariamente. “Quando ela fez a pergunta, me senti violado porque simplesmente não estava pronto para me assumir. Fiquei com muito medo”, lamentou. Martin acrescentou, também, que a insistência de Walters o rendeu um trauma muito mais profundo do que as pessoas imaginam. “Há um pouco de PTSD (estresse pós-traumático) com isso”, afirmou. Meu Deus!

Continua depois da Publicidade

Ainda segundo a voz de “Maria”, se pudesse mudar qualquer coisa sobre o bate-papo infame, ele teria, talvez, “saído do armário” naquele momento. “Muitas pessoas dizem, o que você faria de diferente? Bem, talvez eu tivesse me assumido naquela entrevista. Teria sido ótimo porque quando eu me assumi, foi incrível”, recordou.

Ao longo da conversa com a revista, Martin também revelou que, até compreender que realmente era gay, a ansiedade e a confusão faziam parte de sua rotina diária e, por isso, durante os anos 90 e 2000, ele namorou muitas mulheres publicamente. “Muitas pessoas disseram: ‘Rick, você estava tentando provar a si mesmo, por causa da fama e de ser um símbolo sexual’. Bem, sim, pode ser. Eu não sei. Todo mundo sabe que você não precisa ser um homem gay para saber que o amor é complicado. Ou para saber como a atração pode ser confusa”, avaliou.

Continua depois da Publicidade

O cantor apontou que a confusão foi tanta, que chegou a cogitar ser bissexual. “Sexualidade é algo complicado”, declarou Martin. “Não é preto e branco. É cheio de cores. Quando eu estava namorando mulheres, eu estava apaixonado por elas. Parecia certo, era lindo. Você não pode fingir química – a química estava lá com elas, não estava enganando ninguém”, insistiu.

Apesar disso, Ricky também se envolveu com muitos homens, todos em segredo, durante o ápice de sua fama, até que, em 2008, finalmente declarou sua homossexualidade através de um longo desabafo em seu site oficial, endereçado aos seus fãs. Feliz e livre do armário, hoje em dia Ricky não está mais “livin’ la vida loca” – o artista é casado, desde 2017, com o artista sírio-sueco Jwan Yosef, é pai de quatro filhos e está “mais confortável do que nunca em sua pele”. “Quando se trata de minha sexualidade, quando se trata de quem eu sou, quero falar sobre do que sou feito, de tudo o que sou. Porque, se você esconder, é uma situação de vida ou morte”, concluiu.