Rose Miriam di Matteo sofre nova derrota na justiça, e leva ‘bronca’ de juíza responsável por ação; saiba detalhes

Há meses na batalha pelo reconhecimento de união estável com Gugu Liberato, Rose Miriam Di Matteo sofreu uma nova derrota, com a retirada de seu nome da ação de Inventário de Bens e Partilha do apresentador, de fortuna avaliada em R$ 1 bilhão.

A revista Veja teve acesso a documentos anexados ao processo em 18 de maio. Na papelada, a juíza Eliane da Câmara Leite Ferreira, argumentou que o entendimento foi mudado quando se soube da existência de uma declaração validando, a princípio, a inexistência de união estável entre Rose e Gugu. Segundo a magistrada, o mesmo contrato já havia sido analisado previamente pelo Tribunal, derrubando a tese de Rose Miriam.

Na mesma decisão publicada no Diário Oficial, a juíza da 1º Vara da Família e Sucessões afirmou que não existe razão da permanência da médica nas discussões do patrimônio, uma vez que o pedido de reserva de bens já foi indeferido.

Elaine ainda deu uma bronca em Rose, ao final de seu despacho. “Se não bastasse os fatos expostos acima, a terceira vem tumultuando o andamento do feito, com a juntada de petições, cujo conteúdo foge ao objeto dos presentes, e supostamente, dando indevida publicidade dos atos processuais. Igualmente, o advogado da terceira (Rose) não terá mais acesso aos autos, devendo, todavia, ser intimado da presente decisão”, escreveu a juíza, referindo-se a Nelson Wilians, responsável pela defesa de Miriam. Ainda cabe recurso que pode reverter a decisão e permitir seu retorno ao acompanhamento do inventário.

Rose e Gugu com os três filhos do casal, João Augusto, Sofia e Marina. (Foto: Reprodução/Arquivo pessoal)

Segundo a fonte, em março foi anexada ao processo uma escritura registrada no 7º Tabelião de Notas de São Paulo, em que consta a doação de uma casa de Alphaville de Gugu para Rose, com seis suítes e valor de 1,8 milhão de reais. Lá vivia a médica com seus três filhos, e o imóvel está até hoje em seu nome. Entretanto, essa certidão em si é menos importante pela cessão da casa do que pelas informações que nela constam.

O documento, lavrado no dia 24 de janeiro de 2012, trazia ainda outras implicações sobre a dinâmica da relação. Rose foi citada ali como “solteira”, segundo declarou, “sem manter relacionamento“. Outro trecho dizia ainda que ela “reconhecia que [ela e Gugu] estavam ligados tão e somente como pais e, portanto, eram responsáveis pelo bem-estar dos filhos“.

No dia 7 desse mês, o chef de cozinha e empreendedor Thiago Salvático acionou seus advogados e entrou na Justiça com um processo de reconhecimento de união estável homoafetiva com Liberato. Na ação, protocolada na 9ª Vara de Família e Sucessões do Foro Central da Comarca de São Paulo, ele ainda pediu a partilha de bens cumulados durante o período em que estiveram juntos, alegando ter se relacionado com o apresentador por mais de sete anos, sendo os últimos três, de maneira conjugal.