BBC pede desculpas a príncipe Harry após exibir montagem neonazista com foto dele; Ruivo discorda de ‘justificativa’ dada pela emissora

O canal de TV britânico BBC fez um pedido de desculpas público para o príncipe Harry nesta semana após ele ter reclamado da exibição de uma imagem neonazista na emissora em dezembro do ano passado.

A imagem em questão era uma colagem de uma foto do duque de Sussex ao lado de uma mão apontando uma arma para a cabeça dele com os dizeres: “Te vejo depois, traidor da raça”. Isso seria uma resposta ao casamento dele com Meghan Markle e foi criado por Michal Szewczuk, de 19 anos.

Um porta-voz de Harry disse ao jornal The Guardian que a imagem levantou “sérias preocupações de segurança” e “causou grande estresse em sua família especificamente enquanto sua esposa estava grávida de quase cinco meses”. Por isso, o príncipe fez uma reclamação oficial ao British Office of Communications (Ofcom), autoridade reguladora dos meios de comunicação no Reino Unido.

Nessa quarta (18), a emissora emitiu um comunicado em resposta à reclamação do duque, explicando a decisão de colocar a imagem na matéria e pedindo desculpas por não tê-lo avisado com antecedência. “A imagem do Duque de Sussex foi incluída para mostrar a natureza abominável do comportamento deles e subsequentemente a Ofcom concluiu que houve uma justificativa editorial clara para usar a imagem que, no contexto da notícia, foi considerada improvável de incitar crime. Naturalmente nós nos arrependemos pelo estresse causado e pedimos desculpa por termos falhado em avisar o Palácio de Kensington antes da publicação”, concluiu a nota.

Príncipe Harry se mostrou preocupado com a exibição da imagem neonazista (Foto: Getty)

A BBC ainda disse que esse foi um “pedaço importante de jornalismo que levou à captura, condenação e aprisionamento de dois membros de um grupo neonazista”. Os membros em questão são o menino de 19 anos responsável pela criação da imagem e o jovem Oskar Dunn-Zoczorowski, de 18 anos. Os dois pertenciam a um grupo de ódio chamado “Sonnenkrieg Division”, descrito como a “terceira geração” do “National Action”, banido grupo de terrorismo.

Apesar da equipe interna do canal de TV ter rejeitado a reclamação, a corporação reconheceu que “antes de publicar material seriamente ofensivo nós precisamos ficar atentos para equilibrar o impacto nos indivíduos contra o bem maior, que pode ser servido pela publicação”.

O British Office of Communications também emitiu um comunicado reforçando que “a imagem era altamente ofensiva, mas na nossa opinião a inclusão dela no artigo foi justificada editorialmente já que foi usada para condenar e ilustrar as atividades do grupo racistas, que eram de interesse público.”

A imagem ainda teria sido um ataque direto à Meghan Markle, esposa do duque (Foto: Getty)

Em resposta, um porta-voz de Harry disse que ele recebeu a carta, mas que ainda discorda da decisão de exibir a imagem. “Sua Alteza Real saúda a carta da BBC em relação à chocante imagem publicada na BBC News no ano passado como parte de uma reportagem das atividades de um grupo neonazista britânico”, iniciou o comunicado.

“Sua Alteza Real levantou a questão com a Ofcom sobre a reexibição dessa imagem racista por causa de suas preocupações de que uma propaganda odiosa e perigosa teria sido espalhada mundialmente na emissora mais importante do mundo para serviço público. Graças a credibilidade da BBC, sua escolha de publicar o material criou uma porta aberta para todas as outras mídias a reproduzirem”, explicou o duque.

Por fim, ele sugeriu o que seria uma melhor solução ao caso, em sua opinião: “Sua Alteza Real mantém sua posição de que, ao invés de reproduzir a imagem e dar plataforma para algo que seria apenas visto por poucos, seria melhor descrevê-la para que outros não fossem potencialmente influenciados por uma imagem tão inflamatória”.