Sia apoia FKA Twigs após denúncia contra Shia LaBeouf, e diz que foi “enganada” por ator: “Mentiroso patológico”

Mais uma denúncia… Após FKA Twigs ter entrado com um processo contra seu ex-namorado, Shia LaBeouf, acusando o ator de abuso sexual e agressão, agora foi a vez da cantora Sia relatar ter sido “enganada” por ele. Em postagem em seu Twitter, neste domingo (13), a estrela demonstrou apoio à sua colega e fez suas próprias acusações contra LaBeouf.

No tuíte, Sia recomendou que outras pessoas “fiquem longe” do ator e disse que foi “ferida emocionalmente” por Shia, com quem ela trabalhou no clipe de “Elastic Hearts”, em 2015. Ela ainda chamou o astro de “um mentiroso patológico”, pois a “enganou em um relacionamento adúltero alegando ser solteiro”.

“Acredito que ele está muito doente e tenho compaixão por ele e suas vítimas. Apenas saiba, se você se ama, fique seguro, fique longe”, continuou. Para finalizar, ela mandou uma mensagem à FKA Twigs: “Te amo. Isso é muito corajoso e estou muito orgulhosa de você”.

Sia não entrou em detalhes sobre a linha do tempo ou a duração de seu relacionamento com o astro de “Transformers”. No entanto, o que se sabe é que na época em que eles trabalharam juntos no clipe da cantora, LaBeouf estava namorando a atriz Mia Goth, com quem se casou em uma cerimônia de 2016, antes de pedirem o divórcio em 2018.

Entenda o caso

FKA Twigs abriu um processo contra o seu ex-namorado, Shia Labeouf, na última sexta-feira (11). Segundo o The New York Times, a cantora relatou ter passado por uma série de abusos durante o tempo em que se relacionou com o artista. E, por isso, entrou com uma ação no Tribunal Superior de Los Angeles, o acusando de agressão sexual e física, além de “imposição de sofrimento emocional”.

Continua depois da Publicidade

A artista (cujo nome de batismo é Tahliah Debrett Barnett) e LaBeouf namoraram por pouco menos de um ano entre 2018 e 2019, após se conhecerem no set de filmagens de “Honey Boy”. Um dos incidentes abusivos descrito no processo foi quando o ator começou a fazer manobras arriscadas e ameaçou bater o carro em que os dois estavam, a menos que Barnett “professasse seu amor por ele”. Quando pararam em um posto de gasolina, FKA Twigs ainda saiu e tirou as malas do porta-malas para ir embora, mas LaBeouf a atacou, jogando-a contra o veículo e gritando na cara dela, antes de forçá-la a voltar para dentro.

O ex-casal se conheceu durante as filmagens de “Honey Boy”. (Foto: Getty)

Barnett também afirmou que a estrela de “Transformers” intencionalmente lhe transmitiu uma doença sexualmente transmissível, e ficava bravo se ela olhava ou falava com garçons. Com isso, a cantora “aprendeu a manter os olhos baixos quando os homens falavam com ela”. O ator também possuía regras sobre quantas vezes sua ex-namorada podia beijá-lo e tocá-lo.

Além disso, o processo menciona que LaBeouf mantinha uma arma carregada ao lado da cama e que FKA Twigs “tinha medo de usar o banheiro à noite por medo dele confundi-la com uma intrusa e atirar nela”. Ela também alega que já acordou no meio da noite com Shia em cima dela, as mãos em sua garganta, ameaçando sufocá-la. O ator frequentemente deixava hematomas em seu braço e pulso pela maneira como a segurava e puxava durante as discussões.

As más experiências ainda tiveram implicações na carreira de FKA Twigs, já que o lançamento do álbum “Magdalene”, de 2019, foi afetado pelas ações de LaBeouf. O ator a convenceu a ficar com ele em Los Angeles, em vez de voltar para Londres, onde ela e seu círculo profissional viviam. “Foi um passo em direção ao seu isolamento”.

“Twigs é sempre a força motriz por trás de sua carreira, sempre um passo à frente de todos os outros. Foi uma mudança extrema em sua personalidade e caráter”, declarou o empresário da artista, Michael Stirton. O profissional disse que o disco teve a estreia adiada várias vezes, e uma turnê foi remarcada com grande custo. “Eu poderia falar com ela. Mas eu não conseguia alcançá-la”, lamentou.

Mas não era fácil para a artista sair desse relacionamento abusivo. Uma vez, enquanto ela tentava fazer as malas para ir embora da residência compartilhada do então casal, LaBeouf “apareceu sem avisar e a aterrorizou”, segundo um depoimento da governanta. Ele supostamente “a trancou em um quarto para que a cantora não pudesse sair”.

Com atrasos, FKA Twigs lançou o álbum “Magdalene” em 2019. (Foto: Getty Images)

“O tempo todo em que eu estava com ele, tinha o meu próprio dinheiro. Nada me impedia de comprar uma passagem de avião para minha casa em outro país, longe dele. Mas ele me humilhou tanto que a ideia de deixá-lo e me reconstruir do zero se tornou impossível”, desabafou FKA Twigs.

Ela também contou um dos motivos para não ter feito a denúncia antes: “Eu pensava: ‘Ninguém vai acreditar em mim. Eu sou uma pessoa excêntrica, e sou uma mulher negra’. O que eu passei com Shia foi a pior coisa que já vivi, e eu acho que as pessoas vão ficar surpresas em perceber que aconteceu comigo. Mas essa é a verdade: pode acontecer com qualquer um”.

Continua depois da Publicidade

Outra ex-namorada de LaBeouf, a estilista Karolyn Pho – que também está inclusa no processo – disse que experimentou abusos semelhantes durante seu tempo com LaBeouf. Em uma ocasião, ele a prendeu bêbada em uma cama e deu uma cabeçada nela até que ela sangrasse. “Tanta coisa é necessária para traumatizar um homem ou mulher para torná-los OK com um certo tipo de tratamento”, refletiu ela.

A defesa

Procurado pelo The New York Times, LaBeouf admitiu ter praticado atos de agressão e abuso durante um período em que lutava contra o alcoolismo. No entanto, “algumas das alegações [no processo] não são verdadeiras”.

“Eu tenho sido uma pessoa abusiva comigo mesmo e com as pessoas ao meu redor por anos. Tenho um histórico de machucar aqueles que são mais próximos de mim. Sinto vergonha deste histórico, e peço desculpas àqueles que machuquei. Não posso dizer nada além disso”, comentou.

Continua depois da Publicidade

Ele disse que está determinado a “dar às mulheres com quem se relacionou a oportunidade de apresentar suas versões dos fatos, e aceitar quaisquer consequências que advirem de seus atos”.