Gettyimages 173742114 (1)

Traficante que vendeu drogas a Mac Miller é condenado a quase 11 anos de prisão nos EUA; saiba detalhes

Ryan Reavis afirma ser apenas um intermediário das pílulas que contribuíram para overdose do rapper, e diz desconhecer que havia fentanil nos comprimidos

Ryan Reavis, um dos três traficantes acusados de fornecer as pílulas que contribuíram para a morte de Mac Miller, foi sentenciado nesta segunda-feira (18), em Los Angeles. Segundo o TMZ, o homem foi condenado a ficar atrás das grades por 10 anos e 11 meses. O rapper morreu de overdose acidental, em setembro de 2018.

De acordo com a publicação, o período de condenação do traficante foi menor do que o pedido pela promotoria que cuida do caso (de 12 anos e 6 meses), e maior do que o próprio homem havia solicitado (5 anos), quando se entregou à polícia, no ano passado. Ele responde pela venda de comprimidos de oxicodona, misturados com a substância fentanil.

Para a justiça norte-americana, Reavis alegou que era apenas um intermediário de Cameron JamesPettit, que era o contato “direto” de Miller, e que não fazia ideia de que os comprimidos estavam adulterados, quando repassou o material para o outro colega traficante. O homem afirma que comprou a droga de Stephen Walter, outro vendedor de entorpecentes, que também se declarou culpado de distribuir fentanil recentemente.

Mac Miller em apresentação. (Foto: Kevin Winter/Getty Images)

Segundo relatos do New York Post, em dezembro passado, Walter reconheceu que vendeu a droga a Reavis. “Fui acusado de vender pílulas azuis, pequenas pílulas azuis falsificadas de oxicodona… E não sabia o que continham. Eu não sabia, tipo, que havia fentanil nelas. Mas encorajei a transação”, disse ao juiz federal Otis D. Wright.

Continua depois da Publicidade

Este mesmo juiz, inclusive, foi quem sentenciou Ryan Reavis nesta segunda (18). Ainda segundo o TMZ, ele impôs a punição depois que os promotores leram uma declaração comovente da mãe de Mac Miller, Karen Meyers. No comunicado enviado à justiça, a mãe do músico detalhou a relação que eles tinham. “Minha vida ficou escura no momento em que Malcolm deixou esse mundo. Malcolm era minha pessoa, mais que um filho. Tínhamos um vínculo e parentesco profundos, especiais e insubstituíveis. Conversávamos quase todos os dias sobre tudo – sua vida, planos, música, sonhos”, afirmou na carta.

Para ela, seu filho não desejava a morte precoce que teve. “Ele nunca tomaria conscientemente uma pílula com fentanil, nunca. Ele queria viver e estava animado com o futuro. O buraco no meu coração estará sempre lá”, acrescentou. Reavis é o primeiro dos três traficantes a receber sua sentença. Walter e JamesPettit aguardam a decisão final da justiça.

Continua depois da Publicidade

Relembre a morte

Mac Miller tinha apenas 26 anos quando morreu em sua casa, em Los Angeles, no dia 7 de setembro de 2018. De acordo com o TMZ, o rapper teria falecido pela combinação letal de fentanil, cocaína e álcool. Na época, a morte foi categorizada como overdose acidental. Seu corpo foi encontrado em um quarto de sua casa, por um assistente do artista, em San Fernando Valley.

Ariana e Mac Miller, enquanto ainda namoravam (Foto: Reprodução/Instagram)

A cantora Ariana Grande, que namorou Mac por cerca de dois anos, fez um desabafo emocionante sobre a perda do rapper em um post no Instagram. “Eu te adorei desde o dia em que te conheci quando eu tinha dezenove anos e eu sempre te amarei. Eu não posso acreditar que você não está mais aqui. Eu realmente não posso envolver minha cabeça em torno disso. Nós conversamos sobre isso. Tantas vezes. Estou tão brava, estou tão triste, não sei o que fazer. Você era meu amigo mais querido. Por tanto tempo. Acima de qualquer outra coisa. Eu sinto muito por não poder curar ou tirar sua dor. Eu realmente queria. A alma mais gentil e doce com demônios que ele nunca mereceu. Eu espero que você esteja bem agora. Descanse em paz”, escreveu a artista na época.