Vaza áudio de ligação à polícia denunciando suposta briga entre Johnny Depp e Amber Heard; ouça a gravação e saiba detalhes

Nessa terça-feira (28), o site Daily Mail divulgou o áudio de um telefonema feito em 2016, por uma amiga de Amber Heard à polícia, supostamente para relatar um caso de agressão contra a atriz. A voz anônima não mencionou o nome de Johnny Depp na conversa, mas deixa claro que quem estava envolvido no caso era o namorado da vítima.

“Oi, preciso denunciar um ataque ocorrendo agora na 849 Broadway, no prédio leste, é a cobertura três”, apontou a pessoa, referindo-se à luxuosa casa que Depp e Heard anteriormente dividiam, no centro de Los Angeles, Califórnia.

Recusando-se a citar nomes, a/o denunciante explicou que uma amiga chamada Amber teria sido atacada por um homem, descrito apenas como “um namorado”: “Eu apenas sei que isso está acontecendo e preciso que permaneça em anonimato”.

Buscando coletar mais informações, a policial questionou como o indivíduo na linha soube do suposto ataque. “Ela (Amber) me ligou. Ela é minha amiga”, afirmou. “Ele a agrediu fisicamente. Envie alguém pra lá, por favor”, pediu a voz misteriosa, antes de desligar.

Como mencionado no próprio áudio, a ligação foi feita às 20h27, no dia 21 de maio de 2016. Essa foi a mesma data em que Heard alegou ter sido agredida repetidamente e enforcada por Depp, tendo também mechas de seus cabelos arrancados por ele.

Adam Waldman, advogado de Johnny, entretanto, alegou que o telefonema à polícia teria sido uma “emboscada”. Em outros depoimentos prestados sobre o caso, quem afirmou ter entrado em contato com os oficiais no fatídico dia foi iO Tillett Wright, um ativista trans e confidente de Amber.

Segundo Waldman, a voz da ligação é feminina, o que levantaria questões sobre as alegações. “Eles tramaram contra o Sr. Depp ao ligarem para os policiais, mas a primeira tentativa não deu certo”, declarou o profissional, ao Daily Mail.

Em contrapartida, Roberta Kaplan, advogada de Heard, disse que a suposição de Adam era “fantasiosa”. “As afirmações feitas pelos representantes de Depp sobre as chamadas para a polícia, na noite de 21 de maio de 2016, são falsas, e Depp e seus advogados devem se informar melhor”, rebateu Kaplan.

A gravação foi apresentada como evidência no processo de difamação de US$ 50 milhões (R$ 250 milhões), que Johnny impetrou contra a ex-esposa. A dupla está atualmente lutando nos tribunais, depois que Amber publicou um artigo em 2018, no Washington Post, descrevendo suas experiências como sobrevivente de violência doméstica. O astro de “Piratas do Caribe” não foi mencionado na matéria, mas ele insiste que seu nome foi fortemente induzido no texto.

Foto: Getty)

Amber Heard e Johnny Depp se conheceram nos sets de “The Rum Diary” (que aqui ganhou o título “Diário de um Jornalista Bêbado”), em 2011 e ficaram noivos em janeiro de 2014. O ex-casal chegou a celebrar a união por pelo menos duas vezes: a primeira na mansão do astro em Los Angeles e a segunda na ilha particular de Johnny, a Little Hall’s Pond Cay, nas Bahamas, ambas em fevereiro de 2015. O pedido de divórcio foi apresentado em maio de 2016, quando Amber acusou Depp de tê-la agredido fisicamente.