Alec Baldwin rebate comentários de George Clooney sobre tiro acidental: “Não ajudou em nada”; assista

Tretas de Hollywood! Na última semana, o ator Alec Baldwin quebrou o silêncio sobre o tiro acidental que matou a diretora de fotografia Halyna Hutchins e deixou o diretor Joel Souza ferido no set de “Rust”, em outubro deste ano. No bate-papo com a ABC News, Baldwin então rebateu um comentário feito por George Clooney sobre os protocolos de segurança com armas em Hollywood.

Fotojet (23)
Halyna Hutchins e Joel Souza. (Foto: Getty/Reprodução/IMDB)

Continua depois da Publicidade

A treta entre os astros começou após George comentar sobre o tiro acidental em entrevista ao podcast “WTF with Marc Maron”, no mês passado. “Não conheço o Alec tão bem assim. (…) Mas, durante os 40 anos que tenho estado nos sets, o responsável pela arma foi a pessoa dos adereços ou o armeiro, ponto final”, pontuou Clooney.

Ele então deu a entender que o colega de profissão deveria ter sido mais vigilante ao lidar com a pistola. “Toda vez que recebo uma arma em um set, toda vez que eles me entregam uma arma, eu olho para ela, eu abro, mostro para a pessoa para a qual estou apontando, nós mostramos para a equipe”, descreveu. “Todo mundo faz isso, todo mundo sabe. Talvez o Alec até tenha feito, mas o problema é que as balas de festim são manhosas. Elas se parecem com as balas verdadeiras, mas têm um pequeno buraco na parte de trás, por onde alguém tirou a pólvora”, explicou George.

Eu nunca ouvi o termo “arma fria”. Eles estão falando sobre coisas das quais nunca ouvi falar, literalmente. É simplesmente irritante. Sempre que recebo um revólver [com uma câmara de seis cartuchos], aponta-se para o chão e dispara-se. Seis vezes. Sempre“, concluiu. Ouça o episódio completo aqui.

A fala do protagonista de “Onze Homens e Um Segredo” não repercutiu bem com a estrela de “Rust”. “Bem, muitas pessoas acharam necessário contribuir com alguns comentários para a situação, o que realmente não ajudou em nada”, soltou Alec, quando o apresentador George Stephanopoulos relembrou os comentários de Clooney. “Se o seu protocolo é que você verifica a arma o tempo todo, bom para você. Bom para você”, continuou ele.

“Provavelmente, já lidei com armas tanto quanto qualquer outro ator em filmes com uma carreira mediana. Novamente, atirando ou levando um tiro de alguém. E, naquela época, eu tinha um protocolo e ele nunca me decepcionou”, insistiu Baldwin.

Na sequência, a estrela de “30 Rock” descreveu passo a passo o procedimento dele ao manusear uma arma nos sets de filmagem: o profissional de adereço ou armeiro da produção pegaria a arma dele e a zeraria, caso ele manobrasse ou engatilhasse qualquer uma de suas mecânicas.

Continua depois da Publicidade

“Um assessor de adereços disse: ‘Não faça isso (engatilhe a arma)‘, quando eu era jovem. E eles diziam: ‘Uma coisa que você precisa entender é que não queremos que o ator seja a última linha de defesa contra qualquer violação catastrófica de segurança com a arma'”, relembrou. [Os armeiros diziam] ‘Meu trabalho é ter certeza de que a arma está segura e então eu entrego a você a arma e declaro que ela está segura. A equipe não está contando com você (o ator) para dizer que a arma é segura. Eles estão contando comigo (o armeiro) para dizer que é segura'”, prosseguiu Baldwin.

No desabafo, Alec afirmou que, ao longo de seus 40 anos de carreira, este processo nunca falhou – até o acidente em “Rust”. “Quando aquela pessoa encarregada desse trabalho me entregou a arma, eu confiei nela. E eu nunca tive um problema”, reforçou. Stephanopoulos então quis saber qual seria a responsabilidade do ator em momentos como esse.

“Acho que é uma pergunta difícil, porque a responsabilidade do ator após este dia [do acidente] é muito diferente do que era no dia anterior”, lamentou o artista. “Agora eu não posso imaginar que vou fazer um filme que tenha uma arma novamente, eu não posso. (…) A responsabilidade do ator é fazer o que a pessoa dos adereços ou armeiro manda”, concluiu. Confira o trecho: