“Bond 25”: Lashana Lynch pode se tornar a próxima “007”, diz site

Vaaai, mundo!!! Enquanto a sociedade discute e conquista direitos mais igualitários para todas as etnias e gêneros, o mundo do entretenimento corre atrás para fazer sua parte e também ser reflexo das mudanças que queremos. E os próximos filmes da franquia “007” prometem entrar para a história neste sentido… De acordo com o The Daily Mail, a produção do longa tem planos de colocar pela primeira vez uma agente mulher e negra como protagonista. E mais, a responsável por dar vida ao personagem seria a atriz Lashana Lynch.

Segundo o jornal, o 25º filme da franquia além de marcar a despedida do ator Daniel Craig interpretando o personagem James Bond, também irá apresentar seu mais novo espião… ou melhor dizendo, sua nova espiã! Intérprete da personagem Maria Rambeau em “Capitã Marvel”, a atriz Lashana Lynch seria apresentada ao público como a mais nova agente 007.

A equipe do veículo conseguiu ter acesso a algumas informações surpreendentes sobre o longa. Por exemplo, é dado como certo que o enredo irá girar em torno da aposentadoria de James Bond. Ele precisará voltar a ativa depois que M (Ralph Fiennes) o convocar para solucionar uma crise global.

Ao aceitar a missão, o espião chegará até o MI6 para receber os detalhes sobre os perigos que o planeta corre e terá uma grande surpresa. “Há uma cena crucial no início do filme, onde M diz: ‘Entre 007’, e a câmera acompanha os passos de Lashana, que é negra, bonita e uma mulher. É um momento de deixar a pipoca cair no chão. Bond ainda é Bond, mas foi substituído por 007 e ela é essa mulher deslumbrante“, relatou a fonte.

Lashana Lynch interpretou Maria Rambeau no filme “Capitã Marvel”. Foto: Getty

Não bastasse essa grande mudança, o informante revelou que a espiã interpretada por Lynch será muito empoderada e forte. “Bond, é claro, é sexualmente atraído pela nova 007 e tenta seus truques habituais de sedução, mas fica perplexo quando eles não funcionam com a brilhante jovem negra que basicamente revira os olhos para ele e não tem interesse em pular em sua cama. Bem, certamente não no começo“, contou.

As mudanças celebram a chegada da roteirista Phoebe Waller-Bridge no comando da franquia. A fonte definiu seu trabalho como “feminista e uma homenagem aos outros filmes da franquias“. Mas, além da novidade a respeito do papel de Lashana Lynch, o longa fará algumas adaptações para ficar mais alinhado com o mundo atual. Por exemplo, as “Bond girls” passam a ser chamadas de “Bond women”.

Lashana é absolutamente brilhante e o roteiro de Phoebe é tão afiado e engraçado quanto você poderia esperar. Este Bond presta homenagem a alguns dos filmes anteriores com muito humor. Este é um Bond para a era moderna, que irá apelar para uma geração mais jovem mantendo-se fiel ao que todos esperam de um filme de James Bond. Há sequências espetaculares de perseguição e lutas, e Bond ainda é Bond, mas ele terá que aprender a lidar com o mundo do #MeToo“, explicou a fonte ao fazer referência ao movimento que denuncia casos de assédio contra mulheres nos bastidores de Hollywood.

A notícia de uma 007 mulher e negra atende as expectativas de grande parcela do público do filme, que já vinha se questionando se a fórmula da franquia tinha se esgotado, principalmente com a notícia de que Daniel Craig iria interpretar James Bond pela última vez. Muitos chegaram a cogitar que o ator Idris Elba deveria assumir o papel do agente secreto como uma forma de dar uma revigorada para a história e se mostrar mais inclusiva.