Lightyear 1

Lightyear: Disney restaura cena de beijo LGBTQIA+ no filme derivado de “Toy Story”, após protestos de censura

Sequência incluída em novo filme de Buzz Lightyear já é encarada como “ponto de virada” na história da empresa

Hora da mudança! Recentemente, funcionários da Disney denunciaram a falta de representatividade LGBTQIA+ nas produções e a forma como as poucas personagens inclusivas acabavam censuradas de certa forma. Mas, de acordo com uma fonte ouvida pela Variety, a empresa decidiu tomar uma atitude para mudar essa situação e irá restaurar um beijo lésbico programado para o filme “Lightyear“.

A animação traz mais uma aventura do astronauta Buzz Lightyear, da franquia “Toy Story“, e contará com uma personagem nova chamada Hawthorne, dublada pela atriz Uzo Aduba. A cientista já era descrita como alguém que tem um relacionamento homofetivo com outra mulher, e até nesse ponto, nada foi contestado pelos executivos da Disney.

Acontece que, segundo o informante, foi produzida uma cena de beijo entre as duas personagens e ela tinha sido cortado do filme. Porém, depois de toda a repercussão e os protestos dos funcionários, a sequência foi devolvida para a versão final da produção e já é vista nos bastidores como um “ponto de virada” para uma representação mais real da comunidade LGBTQIA+ nos produtos da empresa.

Pixar
Hawthorne será dublada pela atriz Uzo Aduba. (Foto: Reprodução)

A publicação feita pela Variety relatou que os profissionais criativos da Disney há tempos vêm “limando” as ideias propostas pelos funcionários dos estúdios Pixar. “Luca”, “Soul” e “Divertidamente” teriam inclusões direcionadas para essa temática, mas tudo foi vetado.

Continua depois da Publicidade

A gota d’água do protesto foi a descoberta de que a Disney apoiava financeiramente o projeto de lei “Don’t Say Gay” da Flórida, proibindo “discussões em sala de aula sobre orientação sexual ou identidade de gênero” nas escolas primárias. “Quase todos os momentos de afeto abertamente gay são cortados por ordem da Disney, independentemente de quando há protestos das equipes criativas e da liderança executiva da Pixar. Mesmo que a criação de conteúdo LGBTQIA+ fosse a resposta para corrigir a legislação discriminatória no mundo, estamos sendo impedidos de criá-lo”, diz um trecho da carta aberta escrita pelos profissionais do estúdio de animação.