(Fotos: Nam Anh on Unsplash/ Reprodução; Twitter)

Após matar e voltar para pisotear mulher em funeral, elefante teria chamado manada para destruir casa e vilarejo da vítima; veja as imagens

Até as cabras da mulher teriam sido mortas durante o ataque ao pequeno povoado

No início do mês, uma notícia bastante inesperada chamou atenção: a de um elefante que havia matado uma mulher de 70 anos no leste da Índia, e depois voltado ao seu funeral para pisotear o cadáver. Agora, novos detalhes foram revelados pelo jornal OpIndia. De acordo com o veículo, após interromper o velório, o animal teria esperado por uma hora perto do corpo, e então emitido um chamado para outros membros da manada atacarem o vilarejo.

No dia 10 de junho, no estado de Odisha, uma senhora chamada Maya Murmu, do vilarejo de Raipal, foi atacada e pisoteada por um elefante em uma floresta próxima. Ela foi levada para o hospital em condições críticas, mas faleceu em seguida. A família da vítima e os vizinhos dela esperaram todas as formalidades médicas pós-morte terminarem para levarem o corpo de volta para o vilarejo à noite, a fim de começarem os ritos funerários.

Continua depois da Publicidade

Enquanto a pequena população se preparava para a ocasião, o elefante que teria atacado a mulher muitas horas atrás retornou com agressividade. As pessoas correram para salvar suas vidas; já o animal teria começado a pisotear o corpo da senhora novamente. A imprensa local afirmou que o elefante esperou ao lado da vítima por cerca de uma hora. Então, segundo a Kanak News, o animal começou a emitir um som para chamar outros membros da manada para atacarem o vilarejo.

O elefante teria seguido para o povoado no intuito de destruir a casa da mulher que ele havia matado mais cedo. A residência de barro foi demolida e pisoteada pelo animal — até as cabras foram mortas. Os outros elefantes, então, teriam atacado as casas restantes e comido o alimento disponível no vilarejo.

Os locais disseram ao Kanak News que precisaram correr para longe quando o elefante chegou para atacar o cadáver. Eles teriam visto o animal pegar o corpo da pira funerária e jogá-lo no chão para pisoteá-lo. O cadáver teria sido tão brutalmente destruído que os intestinos saíram para fora. Uma mulher subiu em uma árvore alta para salvar a própria vida. Ela passou a noite no topo, conforme o vilarejo era atacado. Confira imagens impressionantes do ocorrido:

Continua depois da Publicidade

Conflitos entre humanos e animais

A polícia acredita que o elefante se perdeu do santuário onde vive, no Dalma Wildlife Sanctuary, que fica a 200 quilômetros de onde ocorreu a tragédia.

Segundo o jornal Independent, o avanço da atividade industrial no estado indiano, que é rico em minerais, aumentou a invasão humana em habitats de animais. Com isso, o risco do encontro entre pessoas e elefantes também cresceu. Na mesma região, também vêm sendo registradas mortes não naturais destes bichos, contabilizando 42 delas no ano passado.

Continua depois da Publicidade

Ainda em 2022, outros conflitos entre humanos e elefantes aconteceram na Índia. Em março, uma mulher foi morta em um ataque em uma floresta, no estado de Chhattisgarh. Ela estava junto de seu neto de oito anos, que ficou ferido ao tentar fugir. Em maio, uma mulher de 40 anos foi pisoteada até a morte por um elefante do lado de fora de sua casa, no sul do estado de Tamil Nadu.

Estimativas do governo indiano mostram que aproximadamente 100 pessoas são mortas por elefantes a cada ano, mas fundações como a World Wildlife Fund apontam que o número pode ser até três vezes maior.