Fotojet (14)

Autoridades da China se manifestam sobre vítimas de queda de avião, considerada ‘nebulosa’ no país

Avião que transportava 132 pessoas caiu na China durante a madrugada de segunda-feira (21); Causas do acidente ainda são investigadas

Nenhum sobrevivente foi encontrado até agora após a queda de um Boeing 737-800 da China Eastern Airlines, na madrugada de segunda (21). À bordo da aeronave, estavam 132 pessoas, sendo 9 tripulantes e 123 passageiros. “Até agora, as equipes de busca e resgate não encontraram sobreviventes”, declarou Zhu Tao, chefe do departamento de segurança da aviação civil da China, durante coletiva de imprensa realizada nesta manhã (22).

O voo MU5735 saiu de Kunming com destino à cidade portuária de Cantão. Conforme dados da plataforma de monitoramento Flightradar24, pouco mais de uma hora após decolar, o avião “de repente começou a perder altitude muito rápido”. O Boeing estava a 29.100 pés quando, em menos de dois minutos, despencou mais de 21 mil pés. A aeronave aparentemente recuperou a altitude em torno de 8 mil pés, mas logo voltou a cair.

Continua depois da Publicidade

A descida misteriosa na vertical, como podemos observar no vídeo acima, intrigou muitos. O presidente da China, Xi Jinping, ordenou uma investigação profunda para que as causas do acidente sejam determinadas o mais rápido possível. A mídia estatal do país, por sua vez, classifica o caso como “nebuloso”.

“Tendo em conta que a investigação está apenas começando, não podemos ter uma opinião clara sobre as causas do acidente, com base nas informações disponíveis”, pontuou Zhu Tao, avisando também que a caixa preta do avião ainda não foi encontrada. A agência de aviação civil chinesa também não esclareceu se houve algum diálogo dos pilotos com a torre de comunicação antes da queda da aeronave.

Equipes de resgate lutam contra a chuva e a lama na busca por sobreviventes ou vestígios que possam ajudar nas investigações. No local do acidente, bombeiros encontraram muitos pedaços do Boeing incinerados, por conta do incêndio provocado no choque com o solo. Os destroços estão cercados por montanhas em três lados e há apenas um pequeno caminho para acessar o avião.

Ainda de acordo com o FlightRadar24, a aeronave em questão operava há seis anos e tinha bom histórico de segurança de voo. A Boeing, por sua vez, informou que está coletando mais informações com autoridades locais para iniciar uma investigação própria sobre o caso. Por enquanto, a companhia aérea suspendeu outros voos com o mesmo modelo de avião.