Aviao China Eastern Queda

Dados de avião que caiu na China indicam queda intencional, diz The Wall Street Journal

O mundo ficou em choque com a queda da aeronave, que tirou a vida de todas as 132 pessoas a bordo

Uma reportagem do The Wall Street Journal, divulgada nesta terça-feira (17), indicou que o avião da China Eastern teria sido derrubado propositalmente no último dia 21 de março. Registros do incidente chocaram o mundo pela dinâmica da queda, em que a aeronave despencou praticamente na vertical. Todas as 132 pessoas a bordo morreram.

O voo havia partido da cidade de Kunming para Guangzhou quando caiu próximo de Wuzhou, na região sul da China. Segundo fontes revelaram à publicação, uma análise preliminar das causas do acidente e da caixa preta sugeriram que alguém teria empurrado a direção da aeronave para que ela fizesse o “mergulho fatal”, colidindo assim em altíssima velocidade com a lateral de uma montanha.

Continua depois da Publicidade

“O avião fez o que foi dito por alguém que estava na cabine”, relatou uma pessoa próxima aos oficiais norte-americanos. De acordo com autoridades chinesas, os dados também não indicam problemas mecânicos ou dificuldades no controle do voo. “Esse modelo [Boeing 737-800] é uma mão na roda na indústria da aviação global e é parte de uma família de aeronaves da Boeing que tem um do melhores registros de segurança em voos comerciais”, disse um informante.

O avião seguia a quase 9 mil metros de altitude quando caiu inesperadamente em uma espiral, em cerca de três minutos. Um relatório preliminar também já havia demonstrado que os pilotos deixaram de responder os controladores de voo já a partir da primeira queda de altitude. “O radar de controle de área de Guangzhou mostrou um aviso de ‘desvio’ de altitude de comando, a aeronave deixou a altitude de cruzeiro, o controlador chamou a tripulação imediatamente, mas não recebeu resposta”, informou o documento.

Continua depois da Publicidade

Com as novas informações, as investigações se voltaram para as atitudes dos pilotos do avião. A fonte ainda pontuou que alguém poderia ter invadido a cabine e agido para derrubar a aeronave. A expectativa é de que as apurações do caso sigam revelando mais dados sobre o que ocorreu, para confirmar ou refutar o que foi encontrado até agora.

De qualquer modo, a China Eastern já voltou a operar voos com seus modelos Boeing 737-800 após passar um mês sem pousos e decolagens.