Elon Musk (Getty)

Elon Musk diz que doaria US$ 6 bilhões para acabar com a fome no mundo, mas revela condição

Em entrevista recente ao “Connect the World”, da CNN, o diretor do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas David Beasley afirmou que um pequeno grupo de indivíduos “ultra-ricos” poderia ajudar a diminuir a fome no mundo com apenas uma fração de seu patrimônio. Na ocasião, ele citou especificamente Jeff Bezos, da Amazon, e Elon Musk, da Tesla. Agora, Musk confirmou que está disposto a ajudar, mas impôs uma condição.

Beasley disse que se os bilionários fizessem uma doação única de US$ 6 bilhões, isso “ajudaria 42 milhões de pessoas que, literalmente, vão morrer se não os alcançarmos”. “E se fosse sua filha morrendo de fome? E se sua família estivesse morrendo de fome? Apenas acorde, sinta o cheiro do café e ajude”, disse ele. Segundo a publicação da CNN, o presidente-executivo da Tesla tem um patrimônio líquido de quase US$ 289 bilhões, o que significaria uma doação de apenas 2% de sua fortuna.

Elon Musk é o homem mais rico do mundo, segundo a Forbes. (Foto: Getty)
Elon Musk é o homem mais rico do mundo, segundo a Forbes. (Foto: Getty)

Neste domingo (31), Elon usou o Twitter para dizer que está mais do que disposto a doar essa quantia, mas somente se os responsáveis pudessem provar que a maior parte da doação iria realmente para acabar com a fome no mundo. “Se o Programa Alimentar Mundial [WFP] puder me falar exatamente como US$ 6 bilhões vão resolver a fome no mundo, eu vendo ações da Tesla agora mesmo e faço a doação. Mas a doação precisaria ficar em uma plataforma de código aberto para que o público olhasse precisamente como o dinheiro está sendo utilizado”, escreveu.

David Beasley, diretor do programa da ONU, respondeu de volta, dizendo que a manchete daquele artigo específico “não era precisa”. “US$ 6 bilhões não vão resolver a fome mundial, mas evitaria a instabilidade geopolítica, a migração em massa e salvaria 42 milhões de pessoas à beira da fome. Uma crise sem precedentes e uma tempestade perfeita devido às crises de Covid, conflitos e clima”, explicou. Após a publicação, a CNN mudou o título do artigo.

David Beasley pediu ajuda de Elon Musk para acabar com a fome mundial. (Foto: Getty)
David Beasley pediu ajuda de Elon Musk para acabar com a fome mundial. (Foto: Getty)

Continua depois da Publicidade

“Com sua ajuda, podemos trazer esperança, construir estabilidade e mudar o futuro. Vamos conversar. Não é tão complicado quanto Falcon Heavy [foguete], mas há muito em jogo para não ter ao menos uma conversa. Eu posso estar no próximo voo até você. Me mande embora se você não gostar do que ouvir!”, acrescentou Beasley.

Na semana passada, a Tesla se tornou a sexta empresa na história dos Estados Unidos a valer US$ 1 trilhão, e entrou para o seleto grupo que inclui a Alphabet (holding do Google), a Apple, a Amazon, a Microsoft e o Facebook. Nesta segunda, o portal InfoMoney confirmou que as ações da gigante automotiva dispararam após a fala do CEO, com uma valorização de mais de 8,48%.