Jogadores do PSG e Istanbul Basaksehir se revoltam e abandonam jogo após ofensa racista de quarto árbitro; assista

Nesta terça-feira (8), um momento revoltante ocorreu na partida entre Paris Saint-Germain (PSG) e Istanbul Basaksehir pela Champions League. Logo no início do jogo, o quarto árbitro romeno Sebastian Colţescu teria proferido um termo racista contra o camaronês Pierre Webó, membro da comissão técnica da equipe turca. Revoltados com a situação, os dois times abandonaram o campo.

A confusão começou por volta dos 13 minutos do primeiro tempo. Membros da equipe turca reclamaram bastante da do cartão amarelo dado ao jogador brasileiro Rafael. O camaronês foi um dos que se posicionaram a respeito do ocorrido e questionou a arbitragem abertamente. De acordo com relatos de vários veículos da imprensa francesa, espanhola e italiana, neste momento, Sebastian Colţescu falou “vai embora, preto” para Webó.

Em vídeo compartilhado da transmissão oficial, é possível ouvir Webó dizendo “o que você falou? Por que você falou preto?”. Em seguida, o árbitro principal, Ovidiu Hategan, se aproxima e lhe aponta um cartão vermelho. Confira a seguir:

Após o episódio, o atacante Demba Ba, que estava no banco do Basaksehir, também partiu pra cima da arbitragem. “Você não fala ‘aquele cara branco’, você fala ‘aquele cara’. Porque então vai falar ‘aquele cara preto’?!”, disparou. O jogador acabou liderando o movimento na qual as duas equipes abandonaram o campo. Antes de saírem, Neymar e Mbappé, do PSG, ainda se posicionaram contra a presença do quarto árbitro: “Se esse cara não sair daqui, não vamos jogar!”. A partida, segundo a Uefa, foi suspensa.

Continua depois da Publicidade

Nas redes sociais, clubes do Brasil e do mundo manifestaram total apoio à decisão dos atletas dos clubes francês e turco, ressaltando seu compromisso na luta pelo fim do racismo no futebol e na vida. O Istanbul Basaksehir mandou uma mensagem direta: “Não ao racismo”, que foi retuítada pelo PSG.

Neymar também deixou o seu apoio a Webó. O jogador compartilhou uma arte poderosa, acompanhada da legenda “vidas negras importam”.

Já o narrador Jorge Iggor  fez um belo discurso durante a transmissão no Esporte Interativo: “Se alguém duvidava que era possível chegar em um ponto mais baixo, a gente chegou hoje. Porque uma autoridade, um árbitro […] o cara que está ali para aplicar regras, para aplicar a lei do jogo, ofender um jogador é de dar nojo”. Confira a repercussão pelo Twitter:

Continua depois da Publicidade