Ministro Madagascar (1)

Ministro de Madagascar sobrevive à queda de helicóptero e se salva após nadar por 12 horas; assista

Serge Gelle passou a noite nadando até ser encontrado na cidade de Mahambo. “A hora de morrer ainda não chegou para mim”, disse

Um ministro de Madagascar sobreviveu à queda de um helicóptero nesta segunda-feira (21), na costa nordeste da ilha africana. De acordo com a agência AFP e o relato de autoridades locais, o general Serge Gelle, de 57 anos, nadou por cerca de 12 horas até chegar ao solo. Após o resgate, ele, que é secretário de Estado da Polícia de Madagascar, surgiu em um vídeo e falou sobre o caso.

Gelle sobrevoava a área de um naufrágio quando sua aeronave caiu no mar. Segundo Jean Edmond Randrianantenaina, chefe da autoridade portuária, o general e um mecânico teriam saltado do helicóptero. Depois de nadar das 19h30 até por volta das 7h da manhã, o secretário foi encontrado na cidade costeira de Mahambo, assim como outro colega de instituição, que chegou separadamente.

Continua depois da Publicidade

O Ministério da Defesa Nacional de Madagascar também compartilhou um vídeo em que Serge comentava o episódio. Visivelmente exausto, o general afirmou que não havia sofrido lesões, mas que ainda sentia frio. “A hora de morrer ainda não chegou para mim”, declarou ele, que apareceu deitado em uma espreguiçadeira. Na filmagem, o secretário agradeceu pela ajuda de pescadores e pessoas que moram nos vilarejos de Mahambo, e ainda mencionou que não sabia dizer se seus colegas estavam vivos após o acidente. Assista:

Um outro general da polícia, Zafisambatra Ravoavy, relatou à AFP que o ministro teria usado um dos assentos do helicóptero como boia. “Ele sempre mostrou muita resistência, no esporte, e a manteve mesmo como ministro, como se tivesse 30 anos”, afirmou ele. Ravoavy ainda acrescentou sobre o sobrevivente: “Ele tem nervos de aço”. Outros dois passageiros do helicóptero seguem desaparecidos e as buscas continuaram ao longo desta terça-feira (21).

Serge Gelle e outras autoridades estavam na região em que um navio cargueiro havia naufragado recentemente. Segundo a imprensa internacional, a embarcação não tinha autorização para transportar pessoas, mas teria violado essa determinação e estava acima de sua capacidade. Pelo menos 21 pessoas morreram e outras 60 estão desaparecidas após o desastre.