Fotojet (5)

Oi?! Casal é detido pela polícia e grava vídeo pornô para o OnlyFans dentro de viatura

Tá aí uma história pra lá de bizarra. Um casal detido na última terça-feira (23) na Flórida, EUA, achou que seria uma boa ideia gravar um vídeo pornô dentro de uma viatura de polícia. O conteúdo, mais tarde, seria publicado no perfil do OnlyFans da dupla. Não, você não entendeu errado…

A história começou quando Yordan Noa e Summer Watkins, ambos de 24 anos, foram parados numa blitz pelas autoridades da patrulha rodoviária local, pois o rapaz dirigia uma BMW com a carteira de motorista vencida. Segundo relatório de prisão divulgado pelo The New York Post, o oficial que flagrou a infração, J.D. Perez-Morales, ofereceu uma carona para a passageira até o posto de gasolina mais próximo.

Continua depois da Publicidade

Ela, entretanto, parecia ter outras ideias em mente e negou a oferta. O policial então conduziu os jovens para dentro de uma viatura, quando ouviu da moça uma pergunta bastante inapropriada. “E se eu fizer um boquete nele aqui?”, lançou Summer. “Eu disse pra ela que não poderia fazer isso”, informou Morales, que então trancou a porta do carro e se afastou por alguns instantes, para contatar a delegacia de polícia.

A partir daí, uma câmera instalada dentro do veículo flagrou Watkins sugerindo: “Amor, nós deveríamos gravar um vídeo para o OnlyFans aqui”. Na sequência, Noa desabotoou a bermuda, puxou o pênis para fora e recebeu sexo oral da namorada. Ainda de acordo com os documentos divulgados, o rapaz teria filmado tudo com o celular, enquanto dizia: “F*da-se a polícia! Estão me ouvindo?! Ela está fazendo um boquete por trás das costas das autoridades!”. Depois, ele ainda fez uma chamada de vídeo com um amigo e contou a história.

Floridahp
(Foto: Reprodução/The New York Post/Florida Highway Patrol)

O oficial voltou à viatura sem saber do ocorrido. Yordan foi preso por dirigir com licença suspensa e também por porte de drogas, que foram encontradas em seu carro. Summer foi deixada em um posto de gasolina, mas, algum tempo depois, Moralez descobriu o ato sexual ao revisar as filmagens da câmera interna de segurança e voltou ao posto para prender a mulher. A dupla passou a responder também por acusações de comportamento lascivo e perturbação da paz.

Posteriormente, a moça foi libertada da prisão sob fiança de US$ 1.000 (cerca de R$ 5.600) e deve responder a um processo no dia 16 de dezembro. Noa, por sua vez, também pagou o valor necessário e foi liberado, mas será julgado no dia 13, também do próximo mês.