Famosos

Em canção inédita, R. Kelly reage às acusações de estupro e revela ter sido vítima de abuso na infância

Marlon Faria - Publicado em 24/07/2018 às 10:05
Compartilhe: Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Pinterest Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no E-mail

Denunciado em maio deste ano de estupro e cárcere privado, o músico R. Kelly lançou nesta segunda (23) uma canção em que fala sobre as acusações e diz ter sido, ele mesmo, vítima de um familiar quando mais jovem.

Durante os longos dezenove minutos da canção ‘I admit’, o músico famoso pelo hit da década de noventa ‘I Believe I Can Fly’ passeia por várias das situações controversas nas quais seu nome esteve envolvido nos últimos anos.

“Dizem que estou abusando dessas mulheres, o que é isso – isso é um absurdo … / Elas sofreram lavagem cerebral, realmente? / Sequestro, realmente? / Não puderam comer, sério? / Conversa de verdade, isso é besteira”, diz o rapper em um trecho. Kelly, que já respondeu processo por pedofilia, também abordou o assunto: “Eu admito que f*** com todas as mulheres, que são tanto mais velhas quanto novas. Mas me digam, por quê chamam isso de pedofilia? Isso é louco”.

A composição ainda fala sobre um suposto abuso sexual sofrido pelo músico na infância e que teria sido provocado por alguém de sua família. “Agora, admito que um membro da família me tocou (me tocou, me tocou, me tocou) / Em uma criança aos 14 anos, sim / Enquanto eu dormia, tomou minha virgindade”, desabafou o cantor. Ouça:

* Veja também: ‘Guardiões da Galáxia’: Chris Pratt e Zoe Saldana quebram silêncio após demissão de James Gunn e polêmica com pedofilia

Vale lembrar que os escândalos envolvendo R. Kelly chegaram a causar desconforto em torno do nome de Lady Gaga. O rapper colaborou com a cantora na faixa ‘Do What You Want’, para o álbum ‘Artpop’. O clipe da canção foi engavetado, mas os artistas se apresentaram juntos no American Music Awards, em 2013, com uma performance que gerou polêmica não só pelo refrão “faça o que quiser com meu corpo”, mas pela interação sensual entre eles na coreografia.

Em maio deste ano, o Spotify também se posicionou em relação às acusações de abuso destinadas ao cantor. O gigante dos streamings anunciou que não iria mais incluir as canções de Kelly em playlists, parando assim de divulgar o trabalho do músico.