Lista: 8 artistas (e canções) incríveis pra você conhecer nessa quarentena! Vem ouvir e se apaixonar

Estamos há quase dois meses em regime de isolamento social. A recomendação das autoridades de saúde – na luta contra o novo coronavírus, você bem sabe, é de ficarmos em casa. É um momento totalmente novo, uma forma de viver que provavelmente nunca experimentamos antes. Mas algumas coisas nunca mudam… uma antiga aliada, a música, continua sendo uma das nossas melhores companhias.

Ela tem o poder de nos fazer distrair no tédio, de acalmar o coração diante da dureza dos noticiários, de nos propor reflexões sobre coisas da vida, e de abstrair a solidão que a quarentena naturalmente pode despertar! Confinados, é hora de navegarmos pelas ondas dos streamings, e fazermos algumas agradáveis descobertas. De mesmice, já basta nossos pijamas… As paredes de nossas casas não hão de impedir, marujos e marujas!

O hugogloss.com saiu em busca de oito artistas (e suas respectivas incríveis canções) para te trazer alívio e distração nos próximos dias. Confira a seguir!

Elana Dara – “Falei de Você Pra Minha Mãe”

Essa música nos chamou a atenção, tão logo a escutamos pela primeira vez. A faixa tem algo fresco, conversa com as produções atuais, ao mesmo tempo em que se revela muito própria, o que é difícil! “Falei de Você Pra Minha Mãe” mistura MPB, samba, pop e rap, com uma composição das mais espertas, e claro, a voz forte de Elana Dara. Curitibana, de apenas 20 anos, é uma das grandes apostas do cenário musical pra este ano. Elana já podia ser ouvida desde 2019 numa parceria do “Poesia Acústica”, com Projota e Cynthia Luz, mas só agora mostra sua própria assinatura num single solo. Guardem esse nome… Queremos muito mais dela!

Samantha Machado – “Pirata”

Já conhecida na cena eletrônica, Samantha Machado lançou no meio do mês passado, “MVLTIFVCETVDV EM LVPIDVCVO CONSTVNTE”, seu disco de estreia. O trabalho passeia pelo hip hop, soul e o pop. É bem diferente de parcerias como “Nave Espacial” e “Portal do Universo”, que fizeram seu nome movimentar nos streamings. O disco é uma preciosidade pra se ouvir de uma ‘vezada’. Dê o play, escute as 14 faixas, e nem verá o tempo passar. Colaboração com SóCIRO, “Pirata” é o primeiro single do álbum. Na faixa, a partir das figuras da sereia e do pirata, Samantha canta sobre a cilada que é se envolver com alguém de um mundo tão oposto ao nosso. Um jogo de metáforas que faz viajar, e ao fim, voltar a si mesmo. “Instagram”, “Controle” e “Constelação” também se destacam na track-list. Perfeitas!

PARTYNEXTDOOR – “Believe It” 

O canadense não é bem um artista novo. No seu país de origem e também nos EUA, PARTYNEXTDOOR faz sucesso há um tempo. Como compositor, por exemplo, já alcançou o topo das paradas em 2016 com o hit “Work”, entoado por Rihanna e Drake. “Wild Thoughts”, feat. entre a barbadiana e DJ Khaled, que tocou muito em 2017, também leva sua assinatura na letra. Agora, ele repete a parceria com Rihanna, mas dessa vez, nos vocais. Ambos dividem o R&B sensual e delicinha “Believe It”, que fala de alguém que errou e espera por uma nova chance na relação. A canção integra o álbum “Party Mobile”, que ainda traz uma colaboração com Drake e Bad Bunny. Oportunidade certeira pro Brasil conhecer seu trabalho.

2STRANGE – “Visão”

A união do rap e R&B é muito bem representada pelo duo 2STRANGE. Filhos de pai italiano e mãe brasileira, os irmãos já passaram pela Berklee College Of Music – a maior faculdade de música do mundo, e moraram em cidades como São Paulo, Boston, Viena, Roma, Londres e Tóquio. Vem muito daí o nome da dupla – 2STRANGE, uma referência a essas experiências e ao sentimento de “não pertencimento” a um lugar específico do globo. Antes de “Visão”, os dois chegaram a colaborar com DJs importantes aqui do Brasil, como Alok e Pontifexx. No novo single, entretanto, eles se jogam melhor nos ritmos urbanos, com versos em português e inglês.

Justin Quiles – “PAM”

Justin é mais um desses artistas que já estourou várias faixas como compositor e decide trilhar o sucesso também como intérprete. É dele, por exemplo, o super hit “Downtown”, de Anitta e J. Balvin. A faixa havia sido escrita para ele próprio gravar, mas a brasileira gostou tanto, que acabou ficando com ela. Nascido nos EUA e criado em Porto Rico, Quiles já compôs para nomes como Don Omar, Maluma e Yandel, e agora divide os vocais com ninguém menos que Daddy Yankee, um dos precursores do reggaeton. “PAM” é aquela música cheia de energia, que gruda na cabeça, e faz todo mundo querer dançar. O jeito é arrastar o sofá em casa mesmo.

Lua – “Resiliência”

Com apenas vinte anos, Lua dá os primeiros passos de uma carreira que parece promissora. Em seu pop e rap urbano, a carioca une espiritualidade, ancestralidade e astrofísica nas composições. A jovem frequentava rodas de rap desde novinha com os pais. Aos quinze, passou a colocar melodia nas próprias rimas e não parou mais. A atual aposta “Resilência”, apesar de escrita no ano passado, conversa diretamente com o momento que atravessamos. “Resiliência é um caso à parte. O poder de quebrar e juntar cada parte. Assim como a alegria, a tristeza também parte. Espera que o mundo gira, apenas faça sua parte“, canta Lua, antes do refrão, um mantra indiano. Trata-se de uma invocação a Ganesha, Deus hindu, para remover todo tipo de obstáculo.

Jack Harlow – “What’s Poppin”

Mais um exemplo de prodígio, só que dessa vez dos EUA. Jack Harlow tem 22 anos e faz rap desde os 12. Na época do Ensino Médio, gravava seus álbuns em casa e vendia as cópias no colégio. Com a expansão das plataformas digitais, Harlow lançou duas mixtapes, que chamaram a atenção das gravadoras. Após algum tempo, mostrando seu trabalho por aí, o rapaz foi ver uma recente canção sua viralizar no Tik Tok: “What’s Poppin”. O piano dá leveza aos versos agitados da faixa e é seu principal trunfo. Neste momento, Jack já está entre as 45 músicas mais bem posicionadas na Billboard HOT 100, a principal parada de sucesso dos EUA.

Morenna – “Bla Bla Bla”

Esse é o primeiro single solo de Morenna, que acaba de assinar com uma gravadora, a Warner Music Brasil. Mas a carreira da moça de Vila Velha, Espírito Santo, já tem um tempinho. Em 2017, ela dava passos importantes com o grupo de rap “Solveris”, eleito dois anos mais tarde pelo renomado portal norte-americano Genius como “Artista Revelação”. Agora quem se revela é a única mulher do quarteto. Em “Bla Bla Bla”, Morenna explora as sonoridades do dancehall, do pop e do R&B, sem esquecer do rap. O trabalho tem mostrado boa aceitação e já lhe rendeu elogios de Baco Exu do Blues e do mestre Emicida. Com uma benção dessas… precisa de mais alguma coisa?!