Marília Mendonça reúne 100 mil pessoas em praça de Belo Horizonte com show anunciado no mesmo dia e canta, pela primeira vez, “música mais triste de todas”; vem assistir!

Quem disse que segunda-feira não é dia de show? Nessa segunda (07), Marília Mendonça voltou com tudo para o projeto “Todos os Cantos”, em que promete percorrer o Brasil com shows surpresas e gratuitos. A musa fez uma apresentação na Praça da Estação, cartão-postal de Belo Horizonte, para mais de 100 mil pessoas, segundo a Guarda Civil da capital mineira.

Assim como os outros shows do projeto, esse só foi anunciado no mesmo dia pela manhã. Além de fazer uma live no Instagram, Marília ainda juntou fãs para distribuírem panfletos pela cidade. “A gente volta hoje com o nosso projeto de gravação pelo Brasil. Ficamos três meses parados e essa pausa não tem relação com a gravidez, mas sim com a agenda lotada de shows. Estou passando pra avisar que hoje a gente está em BH e nosso projeto será feito aqui com a gravação de uma música nova”, revelou ela na rede social.

Pelo Instagram, a sertaneja ainda agradeceu os fãs que participaram da divulgação. “Impossível não me emocionar. Depois de uma pausa no projeto, por conta da agenda de shows, recebi a notícia da minha gravidez e aí tudo ficou mais complicado quanto a realização de todos os passos, mas nem passou pela minha cabeça parar. […] Quem me representaria nessa empreitada de divulgação sem quebrar o elo? Os meus fãs”, contou. “Não cabe em mim a gratidão que sinto por cada um de vocês!”

View this post on Instagram

impossível não me emocionar. depois de uma pausa no projeto, por conta da agenda de shows, recebi a notícia da minha gravidez e aí tudo ficou mais complicado quanto a realização de todos os passos, mas nem passou pela minha cabeça parar. mas, eu como boa leonina que sou, não queria que nada fugisse do controle e nem queria ver os panfletos de algo tão nosso, sendo entregues por esteriótipos, em bares chiques e sendo pagos por isso, como vemos em muitos eventos… nada contra, porém esse não é o intuito do projeto. desde o começo, a decisão de ser algo construído pelas nossas próprias mãos vem sendo mantida, mesmo sendo algo bem difícil. quem me representaria nessa empreitada de divulgação sem quebrar o elo? os meus fãs. pessoas que deixaram suas camas ou que quer que estivessem fazendo, as 08 DA MANHÃ, repito: 08 DA MANHÃ pra participar de um suposto programa de tv que falaria sobre mim, sem a minha presença. cheguei na calada, pedi com carinho pra que me representassem e olha: QUE REPRESENTAÇÃO! não cabe em mim a gratidão que sinto por cada um de vocês! vamos pra mais um capítulo: #TodosOsCantosEmBh aí vamos nós, HOJE, as 19HRS, na Praça da Estação – ENTRADA GRATUITA! te vejo lá! 💔🤘🏼🍺👑 (📷 @flaney)

A post shared by marilia mendonça (@mariliamendoncacantora) on

No projeto “Todos os Cantos”, que já passou por capitais como Manaus (AM), Aracaju (SE) e Brasília (DF), a cantora sempre apresenta músicas inéditas. Desta vez, a escolhida foi “Graveto”. Segundo a musa, essa é a “mais triste de todas”.

Na letra, ela canta: “Faz um tempinho que não sou seu. Até a cama percebeu que esfriou demais e seu toque não traz. Não adianta pôr graveto numa fogueira que não pega mais”. É sofrência que fala, né? Veja a apresentação abaixo:

Depois de algum ensaio, o público já estava até cantando sozinho! “O que não dá pra contar com números nem expressar com palavras… ♥”, escreveu Marília com um vídeo dos fãs entoando o novo single.

Mais tarde, após o show, ela postou uma gravação de toda a multidão junta e fez uma comparação com o Rock in Rio, que acabou no último domingo (06). “Depois de rock in rio, vem aí: Sofrência in BH 🤘🏼💔🍺👑”, brincou ela. É muita gente, meu povo… mais gente até do que o próprio festival conseguiu reunir por dia!

Apesar do sucesso, a noite também teve seus percalços. Antes da apresentação começar, um áudio espalhado pelo WhatsApp anunciava um arrastão pelo local do show. “Hoje na Praça da Estação vai ter um arrastãozinho de leve. Não vem como esse negócio de Iphone pra nós, não. Nós quer [sic] é Moto G, Samsung, que é fácil pra vender, entendeu?”, dizia a gravação.

Ao UOL, a Polícia Militar afirmou estar ciente do caso e preparada caso a ameaça se concretizasse. Entretanto, segundo a corporação revelou para o jornal “O Tempo”, a organização do evento teria solicitado um efetivo de policiais para um público de apenas 20 mil pessoas, cerca de um quinto da quantidade que compareceu.

Em vários vídeos gravados pelo público é possível ver uma confusão generalizada após o show, com milhares de pessoas deixando o lugar às pressas. Há ainda gravações de uma briga generalizada na Praça Rui Barbosa, ao lado da Praça da Estação, e outro de um homem em cima do sinal de trânsito durante a apresentação.

De acordo com a Guarda Municipal para o jornal “O Tempo”, pelo menos dez pessoas buscaram ajuda médica e, segundo o “BHAZ”, também houve pelo menos dez registros de furto entre 20h e 22h, nove de celulares e um de carteira. Mais tarde, a PM informou “vários” relatos do tipo.

Além disso, o trânsito foi outra limitação do evento. Mesmo fechada em seus dois sentidos, alguns motoristas de carros e ônibus arriscaram passar pela Avenida dos Andradas, o que resultou em forte congestionamento. Vias próximas também foram sobrecarregadas com o número de veículos. Segundo o Jornal “Estado de Minas”, na Andradas, por exemplo, motociclistas “ziguezagueavam” em meio ao público que se deslocava rumo à Praça da Estação.

Noite intensa, hein?