Absurdo! SBT exibe vídeo escatológico com brinquedo sexual antes de programa infantil e revolta mães: ‘Horrível’

Após estrear o “Alarma TV” – considerado o programa mais violento do mundo, na terça-feira (1º) às 19h20, e cancelá-lo no dia seguinte, Silvio Santos tomou uma decisão ainda mais surpreendente! Nesta quinta-feira (3), o dono SBT colocou a atração bizarra no ar, às 10h30, após o popularesco “Primeiro Impacto” e antes do infantil “Bom Dia & Cia”.

Enquanto crianças aguardavam a exibição de desenhos animados, essas foram surpreendidas com vídeos escatológicos, incluindo um no qual se mostrava a retirada de um brinquedo sexual do ânus de um homem. No hospital, ele era atendido por médicos que tentavam remover o apetrecho utilizando uma serra. As imagens só não foram mais explícitas porque o paciente teve seu corpo ‘embaçado’ digitalmente.

Após o vídeo, os apresentadores do programa enlatado tentaram fazer graça com a situação. Jorge Antolín perguntou à colega Janice Villagrán quais brinquedinhos ela costumava usar. Constrangida, a loira disse que só brincava de bonecas, mas que já as doou. “Depois eu te apresento alguns, então“, rebateu o apresentador, num diálogo tão controverso quanto o conteúdo exibido. De acordo com o “Notícias da TV”, momentos depois, a atração mostrou mulheres num curso de sexo tântrico, com várias delas em biquínis minúsculos.

Sim, tudo isso às 10h30 da manhã e o mais preocupante, antecedendo a um programa voltado ao público infantil. Nas redes sociais, telespectadores se revoltaram. “Estou na sala com meu filho de 4 anos, esperando o desenho começar e dou de cara com um cara falando sobre brinquedo erótico. Que programa horrível!“, reclamou uma mãe no Twitter. “Isso é o maior absurdo que já vi na história da televisão brasileira, internem o Silvio Santos, meu Deus“, pediu outro internauta. Veja as reações:

Questionado pelo “Notícias da TV” sobre a repentina e polêmica mudança na programação e sobre a veiculação de imagens fortes para o horário matutino, o SBT se limitou a informar que não comentaria o caso.

Produzido pela Estrella TV, canal norte-americano voltado ao público latino, o “Alarma TV” é vendido como uma revista eletrônica popular, mas não passa de um compilado de vídeos bizarros e de violência extrema. Pouco há de jornalismo na atração. Os registros esdrúxulos são exibidos sem informações sobre onde e quando aconteceram. Lembra o “Vídeos Incríveis”, exibido pela Band, só que de gosto infinitamente mais duvidoso.