TV / Séries

BBB 19: Polícia investiga Maycon por apologia a maus tratos a animais e zoofilia, diz jornal

Pedro Hosken - Publicado em 12/02/2019 às 19:39
Compartilhe: Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Pinterest Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no E-mail

O BBB 19 enfrenta um novo caso de polícia, o terceiro desde que o programa começou. De acordo com reportagem de hoje (12) do jornal Extra, dessa vez a Polícia Civil do Rio de Janeiro investiga declarações dadas pelo participante Maycon. A 32ª DP teria instaurado um inquérito para apurar denúncias de apologia a maus tratos animais e zoofilia supostamente praticados pelo rapaz de 27 anos. Em vídeos que circulam nas redes sociais, Maycon aparece relembrando covardias que costumava fazer com gatos na infância e conta ter perdido a virgindade com uma bezerra.

Segundo o Extra, o ativista dos direitos dos animais, Randel Silva foi à Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), fazer um registro de ocorrência contra o participante e no local descobriu a existência de um inquérito em curso sobre o caso na 32ª DP. Com isso, conforme contou Randel, o novo registro não pôde ser oficiado na delegacia especializada.

Ficamos indignados com a postura de Maycon. Lutamos diariamente contra os maus tratos e ver vídeos de alguém contando, aos risos, que colocou bombinha em rabo de gato, em rede nacional, é terrível. Isso é apologia e um péssimo exemplo. Também houve relatos de outros participantes do programa afirmando que ele contou sobre ter praticado zoofilia. Infelizmente, os crimes contra os animais já prescreveram. Mas, apologia é crime“, reclamou o ativista à publicação. “Ontem (11), mais uma vez, ele voltou a falar sobre zoofilia. Zoofilia não é engraçado, não é uma piada. É uma violência contra um animal. É um estupro“, finalizou.

Em conversa com o jornal, a mãe de Maycon, Rozana Santos se desculpou em nome do confinado. “Peço desculpas pelas brincadeiras sem graça dele. Assim que sair, Maycon vai pedir desculpas por tudo. Meu filho é uma pessoa do bem e que não merece passar por isso, ele não tem maldade, é imaturo“, se justificou. Procurada pelo hugogloss.com, a TV Globo se limitou a dizer que ainda não foi notificada sobre o caso.

No início do reality, mais precisamente na segunda semana de confinamento, o participante Vanderson Brito foi expulso após três mulheres o denunciarem à Polícia Civil do Acre por estupro, lesão corporal e importunação ofensiva ao pudor. Já nesta segunda-feira (11), a Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância do Rio de Janeiro divulgou que também está em curso uma investigação sobre declarações de cunho preconceituoso dadas no programa.

Em comunicado enviado ontem ao hugogloss.com pela TV Globo, a emissora ressaltou repudiar qualquer tipo de intolerância e preconceito. “Não fomos notificados, mas é importante pontuar que a Globo respeita a diversidade, a liberdade de expressão e repudia com veemência qualquer tipo de intolerância e preconceito, em todas as suas formas”, se posicionou o canal. “Qualquer manifestação pessoal, equivocada ou não, feita pelos participantes do programa, não reflete o posicionamento da emissora“, concluiu a nota sobre a investigação revelada na segunda-feira.