BBB20: Babu Santana dá aula INCRÍVEL sobre racismo e escravidão para sisters, e conquista a web com discurso: “Muito inteligente”; assista!

“Big Brother Brasil” também é aula de história e cultura — graças a Babu Santana! Em conversa com as sisters hoje (1), o ator passou ensinamentos valiosos sobre racismo, escravidão e a forma de tratamento correta com pessoas afrodescendentes.

O bate-papo começou na cozinha VIP, quando Rafa Kalimann explicava sobre seu trabalho humanitário na África. Babu, então, começou a refletir sobre escravidão e racismo. Um dos trechos mais marcantes é quando ele explicou para as meninas o significado da palavra “negro”. “Pessoas de pele preta não eram chamados de negros. Eram mouros, eram africanos, qualquer coisa, menos negros. Negro vem de nigro, do grego, que é inimigo. É por isso que eu renego esse nome, por exemplo. Nigro é inimigo. Se você pegar negro no dicionário português, é o que não remete luz, funesto, sinistro, não tem uma atribuição positiva a essa palavra”, revelou.

Manu, então, quis saber qual era o nome certo para se falar. “Pra mim, preto. Como falam os americanos, ‘I’m a black man'”, ele respondeu. “Pra mim, ‘preto’ soa engraçado”, opinou Ivy, dizendo que lhe parecia falta de respeito. Babu continuou falando: “Em lugar nenhum no mundo, um homem da pele preta aceita ser chamado de negro. Só aqui no Brasil, porque a gente já condicionou essa palavra a homem de pele preta. Só que a gente tem que pegar e ir um pouquinho atrás, para ver qual foi o significado disso. A palavra escravo, é uma tradução para, nossa, era ‘prisioneiro’. E quando o homem preto era escravizado, [a justificativa era que era um homem inimigo, negro]. Aí, o negro ganhou essa palavra. Tanto é que ninguém na África aceita ser chamado de negro. Porque para as religiões de matriz africana, a palavra é poder. Então, quando você perpetua essa palavra, você está perpetuando essa maldição que foi jogada nos nossos antepassados”.

Continua depois da Publicidade

As meninas ficaram surpresas com as informações, afirmando que nunca tinham pensado na origem da palavra ou em seu significado. Babu disse que, anteriormente, também não imaginava. “Eu conheci um amigo meu nigeriano, e ele me falou: ‘Em lugar nenhum do mundo, aceita ser chamado de negro”. O artista explicou que, nos Estados Unidos, a palavra em inglês era uma grande ofensa, e Manu afirmou que disso ela sabia. “Eu me lembro até hoje, quando estava fazendo ‘Uma Onda no Ar’, a gente tinha que criar uma intimidade, então a gente falava: ‘Fala, Beiçudo! E aí, Negão’! Aí foi muito engraçado, um cara da equipe, branco, falou: ‘Fala, Beiçudo!’. Nós quatro viramos assim: ‘Quê?’. Aí a gente deu uma relaxada, mas falou: ‘Cara, esse é um tratamento entre nós, desculpa'”, Babu falou, sobre formas de tratamento. De acordo com o UOL, no final do papo, ele foi aplaudido pelas meninas. Assista:

Continua depois da Publicidade

Nas redes sociais, a aula de Babu foi muito exaltada: