BBB20: Guilherme é impedido de falar sobre advertência de Pyong por assédio: “Assunto encerrado”; Caso divide opiniões na web – Assista

Rolou muita troca de farpas durante a formação do paredão deste domingo (01), no “BBB 20”. Indicado pela líder Ivy, Guilherme também teve a oportunidade de mandar alguém para a berlinda. E, sem titubear, escolheu Pyong. Entretanto, ao dar sua justificativa, foi interrompido ao vivo. A censura da emissora dividiu opiniões na web.

Quando questionado sobre qual o motivo de ter escolhido o hipnólogo, Guilherme respondeu: “Porque ele já disse várias vezes que quer me ver fora daqui. Além disso, lembro de uma vez em que ele foi chamado no confessionário…”. Nesse momento, o modelo recebeu um aviso de Tiago Leifert. “Eu vou te parar, tá?”, disse o porta-voz do programa, o impedindo de prolongar o assunto.

Assustado, Guilherme logo se desculpou. “Eu vou te parar porque eu acho que tem erros de convivência e erros graves de convivência. O Pyong foi chamado ao confessionário, foi advertido e esse assunto a gente considera encerrado dentro do ‘Big Brother Brasil'”, acrescentou o comandante do reality.

O modelo tentou, então, mudar seu discurso. “Eu acredito que eu também busco uma resposta lá de fora em relação a algumas atitudes que ele pode ter tomado aqui dentro”, declarou. “Aí tudo bem. Deixa o público decidir. Mas acho que você não tem todas as informações para fazer este tipo de julgamento”, repreendeu Leifert, deixando Guilherme em maus lençóis. “Não foi julgamento. Quero que o público julgue talvez o que ele tenha feito aqui”, rebateu o brother. Assista:

Minutos depois, ao entrar no confessionário para votar, Guilherme lamentou os comentários feitos anteriormente. “Primeiramente, quero pedir desculpas porque eu não sabia que estava indo contra qualquer regra”, justificou o moço. “Não é nem regra nem nada. É que o que você ia falar, e eu sei o que você ia falar, tem implicações aqui fora. Pyong tem família”, observou o apresentador.

O participante insistiu, afirmando que não queria dizer nada indevido. “Ele foi advertido já e esse assunto está encerrado pra nós. Jogo que segue”, concluiu Tiago, dando sequência ao processo de votação.

O “assunto proibido” fazia menção ao dia 9 de fevereiro, quando Pyong foi advertido pelo programa por conta de atitudes – consideradas como assédio pelos internautas – na festa “Guerra e Paz”. “Pyong, ontem na festa, o seu comportamento nos causou preocupação. Você bebeu demais, colocou a sua saúde em risco e foi inconveniente com algumas meninas na casa. Isso aqui é uma advertência pra você. Pra que esse tipo de comportamento não se repita. E não passe do ponto novamente”, dizia o recado dado ao brother.

Dois dias depois, Pyong virou alvo de uma investigação da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) devido tais acontecimentos. O mágico tentou beijar Marcela à força e apalpou Flayslane. No confessionário, ambas disseram que não se incomodaram, mas a médica registrou: “Nada me incomodou, não. Fiquei preocupada com relação à esposa dele”.

O ato de censura durante a exibição do episódio de ontem (01), dividiu opinião da web. Alguns concordaram com a postura do programa em deixar o caso no passado. Outros, entretanto, discordaram e se incomodaram com o fato do assédio ser supostamente “encobertado”.