BBB20: Victor Hugo afirma que Pyong “zomba das emoções” dos brothers, e hipnólogo dispara: “Então não olha na minha cara”; Assista

Os ânimos seguem à flor da pele entre Pyong e Victor Hugo… Com a eliminação de Guilherme no paredão de ontem (3), que bateu o recorde histórico de votos do reality show, VH achou melhor ter uma conversa séria com o hipnólogo para que os dois pudessem ter um convívio minimamente saudável. É claro que não deu certo!

O maranhense não escondeu que uma das coisas que mais o incomoda é o comportamento do brother dentro da casa. “Quando a gente está no ao vivo e você fica sorrindo e fazendo caretinha”, exemplificou. “Eu falei para a Mari que quando eu vejo informações ou vejo pessoas falando no ao vivo, me divirto com o jogo”, argumentou Lee.

“Você não acha isso desrespeitoso com as outras pessoas? Por exemplo, com as pessoas que às vezes receberam indicação ou notícia ruim, ou que estão sofrendo por causa de um amigo no paredão”, insistiu o participante. Pyong considerou que sua postura seja apenas uma forma de se mostrar “verdadeiro” no jogo. “Ou seja, zombar das emoções dos outros”, alfinetou o maranhense. “Eu me divirto com o jogo, se as pessoas não se divertem”, ignorou o mágico.

Foto: Reprodução/Globoplay

Victor Hugo seguiu reclamando e lembrou do dia em que escapou do paredão, mas preferiu comemorar sozinho no quarto em respeito à Marcela. “São coisas diferentes, curto o jogo, mas quem se incomoda, pode vir falar comigo. Eu dou risada porque acho interessante os movimentos que acontecem e as dinâmicas do jogo. Além das coisas faladas no jogo da discórdia e discursos do Tiago. Assim como vocês têm direito de ficar sério, eu tenho direito de rir”, falou o youtuber.

Continua depois da Publicidade

O cientista rebateu o colega dizendo que nenhum dos outros participantes riem em momentos sérios. “Em qual situação muito séria eu ri?”, perguntou Pyong. “Em todas as situações”, garantiu Victor, antes de fazer imitações de Pyong durante as transmissões ao vivo. “Qual o problema disso?”, indagou seu rival. “Tem pessoas que estão tensas, nervosas, que estão levando muito a sério”, afirmou. “Eu posso ter direito de não levar a sério?”, pediu Lee. “Você pode”, autorizou VH. “Muito obrigado”, ironizou o hipnólogo.

Conforme a conversa foi passando, o clima foi esquentando e Victor Hugo disse que muitas pessoas também estavam insatisfeitas com a personalidade do coreano. “Só você veio falar comigo”, ignorou o jogador. “As pessoas não conseguiram ainda perceber que isso [rir no ao vivo] é uma das coisas que incomodam em você”, suspeitou o psicólogo.

No entanto, Pyong ficou cada vez mais sem paciência com o discurso do outro participante. “Está tudo bem quem vota em mim, é a minha estratégia de jogo. Sei quem não se incomoda com meu comportamento de jogo e sei quem se incomoda. Eu tenho direito de me divertir com as coisas que são faladas aqui, com a dinâmica do jogo. Eu tenho direito de ter sorrido quando o Guilherme me chamou para o paredão”, disparou.

Foto: Reprodução/Globoplay

“Você fala que respeita meu jogo, mas você não respeita. Caraca, você não respeita minha opinião, você vem conversar para impor a sua. Vim aqui para me divertir, não é uma guerra, é uma competição. Eu respeito as outras reações e eu estou tendo a minha”, se defendeu VH. “Se na tua percepção te ofende, então não olha na minha cara”, exclamou Pyong. “Se as pessoas estiverem incomodadas, que elas venham falar comigo”, completou o paulista.

Continua depois da Publicidade

“Mas eu estou falando com você. Estou te achando desrespeitoso”, continuou o maranhense. “Eu acho desrespeitoso você não me deixar ter o direito de me divertir”, se revoltou o papai de primeira viagem. “Sim, ri, pode rir”, respondeu Victor Hugo.

Em outro momento, o psicólogo citou uma conversa entre o hipnólogo e Felipe Prior, sobre colocar Guilherme no paredão, o que deixou o brother ainda mais indignado. “Você pode ter sua opinião, mas agora pouco nessa conversa você afirmou algumas coisas, você tem que falar ‘eu acho’ e continuar falando ‘eu acho’. Sua opinião e sua conclusão, você afirmar que sou antiético, ou que estou usando coisas, e citar um exemplo de algo que não fiz, que foi o Prior que me chamou para conversar e ele foi provocar… Toma cuidado com suas afirmações aqui dentro”, alertou Pyong.