Fotojet (5)

BBB22: Tiago Abravanel manda a real sobre relação com Silvio Santos e tias: “Nunca existiu”; assista

Sincero, Tiago desabafou sobre a relação delicada que mantém com o avô e com outros membros da família Abravanel: “Já me machuquei muito”

Abriu o coração! Durante a madrugada dessa terça-feira (1º), Tiago Abravanel se juntou a Rodrigo e Laís na área externa do “BBB 22” e desabafou sobre a relação delicada que mantém com o avô materno, Silvio Santos, e suas tias. “Minha relação com o lado da família do meu avô praticamente não existe, ao contrário do que as pessoas pensam. Hoje aprendi a lidar com isso de uma maneira mais leve, mas já me machuquei muito. Já me doeu demais, diria que por 33 anos”, afirmou.

Sincero, o ator, de 34 anos, declarou que já tentou buscar uma aproximação com os parentes. “Por mais que as pessoas idealizem, pra mim, a família da capa de revista, a família [da propaganda] de margarina não é real. Dói eu ter a notícia que um primo meu nasceu, pelo Instagram ou revista e não por uma ligação. E não foi por falta de tentativa. Sempre me coloquei à disposição pra conversar”, frisou.

Ao lembrar da infância, Tiago revelou que Silvio quase nunca participou de suas festinhas de aniversário: “Imagina eu no colégio… quando tinha festa na minha casa, os pais dos alunos ficavam esperando para ver se o Silvio Santos estava lá ou não. As pessoas não imaginam que, tirando meu aniversário de 1 ano, que tem foto dele comigo no colo, meu avô nunca foi numa festa de aniversário minha. E eu não o julgo por isso. Pelo contrário”.

“Podem ser as circunstâncias da vida, a quantidade de trabalho, mas principalmente a falta de relação. Me aproximei muito mais do meu avô quando me tornei artista, do que antes de estar na mídia. E aí te pergunto: Será que essa relação se estabeleceu pelo profissional, ou pelo Tiago? Não sei”, argumentou.

Curiosa, Laís quis saber se o brother já havia conversado sobre o assunto com o dono do SBT. “Não pra conversar isso, mas depois de adulto, sentei acho que umas duas vezes pra realmente dizer pra ele assim: ‘Vô, é até difícil te chamar de vô, porque a referência de avô que tenho é do pai do meu pai. Mas quero dizer pro senhor que estou aqui, que gostaria de ter a liberdade de ligar e falar: ‘posso ir aí te dar um abraço?'”, disse Tiago.

“Nunca tive essa tranquilidade de me conectar nesse lugar, porque a relação nunca existiu. Claro que tem outras questões que não falam sobre mim, falam sobre outras pessoas, mas não acho que tenho o direito de expor aqui. Mas é um lugar muito delicado, sabe?”, continuou o artista.

Na sequência, Tiago lembrou de quando confrontou a tia, Patrícia Abravanel, que havia feito uma declaração controversa na televisão minimizando a homofobia. “Quando aconteceu um episódio da minha tia, que ela falou alguma coisa na televisão e eu fui no Instagram responder, eu me coloquei ali na posição de uma pessoa que tem um vínculo familiar, mas que não tem uma relação familiar – porque são duas coisas diferentes – e de uma pessoa que trabalha com comunicação e que levanta a causa LGBT”, pontuou.

O ator então falou da reação do público, que questionou os motivos da “discussão” ter sido levada para as redes sociais, quando poderia ser tratada pessoalmente. “A maioria das coisas que chegaram a mim foi de apoio, mas ainda assim tiveram as pessoas que falaram: ‘mas por que você não ligou para ela ao invés de postar no Instagram?’ E aí eu respondia: ‘mas por que ela não me ligou antes de colocar a visão dela na televisão sem saber o que estava dizendo?’ As pessoas não sabem que essa relação não existe”, comentou.

O papo seguiu com o atual líder explicando mais sobre como funciona a dinâmica da família Abravanel. “Talvez esse seja o ponto. Talvez seja a família ideal – a família Abravanel, as filhas que são mais próximas dele e os netos e tal… e o meu núcleo familiar, que sou eu, minha mãe e minhas irmãs. Entendi que não queria mais sentir essa dor, justamente num Natal, quando estava eu, minha mãe e minhas irmãs unidos e vi no Instagram que estavam todas as outras filhas e os outros netos com ele (Silvio). E eu falei: ‘tá tudo bem’. Eu senti essa dor durante 33 anos. Quando isso aconteceu, eu virei uma página”, afirmou.

Por fim, Abravanel garantiu que já superou todas essas questões, mas admitiu que ainda se chateia ao ver a mãe, Cintia, sofrer por isso. “Analisando tudo, vejo o quanto estou tranquilo e forte comigo, porque antes só vinham lágrimas ao falar disso. Eu só chorava, porque não conseguia entender. Eu sofria demais. Quando entendi que não era isso, porque não existiu relação, não foi construída, deixou de ter esse peso. Nem eu tenho culpa, nem ele (Silvio) tem. Foram as circunstâncias da vida que fizeram com que essas relações fossem distantes. Talvez o que ainda me machuque é saber que minha mãe sofre. Isso me machuca muito, porque ela é o elo. Ela teve o pai, ela teve as irmãs… Hoje ela não tem mais tão próximo. Então dói”, encerrou.