Drauzio Varella celebra repercussão de matéria com detentas trans e relembra bastidores do abraço que emocionou o Brasil: “Depois me dei conta”

No último domingo (1), os telespectadores foram às lágrimas com uma comovente reportagem exibida no “Fantástico” sobre a vida das mulheres trans nos presídios brasileiros. Uma cena em especial, em que a detenta Suzy, de 30 anos, revela para o Drauzio Varella que não recebia visitas há oito anos, deixou o público muito tocado, inclusive o médico.

Em entrevista para o jornal Extra, o profissional falou sobre a importância de debater o assunto em rede nacional. ” É muito importante discutir as diversidades que, às vezes, fingimos que não existem. Provocar essa discussão no ‘Fantástico’, um programa que reúne famílias no domingo à noite, deu ao quadro muita credibilidade. A repercussão foi muito grande. Discutir esse assunto, que é delicado, poderia causar um ruído, até pelo preconceito que algumas pessoas têm sobre o tema. Mas foi totalmente o contrário”, comemorou.

Quase no final da matéria, Drauzio não consegue se manter indiferente à história de Suzy e dá um abraço emocionante e carinhoso. “No momento em que estava gravando, comecei a contar que ela foi obrigada a se prostituir para conseguir o básico na cadeia. E o que me chamou atenção foi a solidão que ela vivia lá. Sete, oito anos sem receber visitas. No momento em que ela me contou isso, notei uma tristeza tão forte no olhar dela que me emocionou”, relembrou.

“Só pensava em uma pessoa como essa, que deve ter sofrido agressões a vida inteira, que parou na cadeia por ter cometido um crime, mas que não tem ninguém que se lembre dela, que mande uma carta. Espontaneamente, dei um abraço nela. Depois, me dei conta do que estava fazendo. Isso gerou uma repercussão enorme, abraçar outro ser humano”, disse.

A cena impactou tanto as pessoas em casa, que foi iniciado um movimento na internet para o envio de cartas para Suzy com palavras de incentivo e carinho. A ideia foi, inclusive, incentivada pela Secretaria de Administração Penitenciária, que divulgou o endereço completo da detenta. Ela está na Penitenciária I José Parada Neto, em Guarulhos, na Grande São Paulo. A SAP informou que ela recebe mensalmente 75% do salário mínimo pelo trabalho da empresa que presta serviços, assim como material de higiene da unidade prisional.

Para quem tiver interesse em enviar uma mensagem para a mulher, os dados são:
Destinatário: Suzy de Oliveira Santos
Endereço: Penitenciária I José Parada Neto
Rua Benedito Climérico de Santana, 600, Várzea do Palácio
CEP 07034-080
Guarulhos/SP