Gettyimages 625155300

Ellen DeGeneres anuncia fim de talk-show após quase duas décadas no ar, revela o motivo e desabafa sobre denúncias: ‘Eu sou uma boa pessoa’

No ar há 18 anos, o programa “The Ellen DeGeneres Show” chegará ao fim em 2022. A notícia foi anunciada pela própria Ellen DeGeneres, em entrevista ao The Hollywood Reporter, divulgada nesta quarta (12). A apresentadora de 63 anos contou que a decisão havia sido tomada já em 2018, quando ela assinou um contrato de mais três anos de trabalho em parceria com a Warner.

“Queriam me contratar por mais quatro anos e eu disse que aceitaria, talvez, por mais um. Chegamos ao acordo de mais três anos e eu sabia que seriam os últimos. Quando você é uma pessoa criativa, precisa ser constantemente desafiada – e por mais maravilhoso e divertido que este programa seja, ele não é mais um desafio. Preciso de algo novo pra me desafiar”, declarou a loira, que comunicou a equipe de funcionários sobre a decisão ontem mesmo (11).

Continua depois da Publicidade

DeGeneres retomou as gravações de seu talk show em setembro do ano passado, após uma pausa causada não só pela pandemia de coronavírus, mas também por conta de uma série de relatos chocantes feitos ao “BuzzFeed News” em julho, por funcionários e ex-funcionários da atração, denunciando o ambiente de trabalho tóxico. A apresentadora, entretanto, garante que esse não foi o motivo do encerramento do “The Ellen DeGeneres Show”.

“Quase impactou o programa. Foi muito doloroso para mim. Muito. Mas se eu estivesse desistindo do programa por causa disso, eu não teria voltado nesta temporada. Então, não é por isso que estou parando”, afirmou, admitindo ter ficado muito abalada com as acusações. “Com o talk show, tudo que me importava era espalhar bondade e compaixão e tudo que eu defendia estava sendo atacado. Então, isso me destruiu, honestamente. Eu estaria mentindo se dissesse que não”, ponderou.

The Ellen Degeneres Show 1024x682
O programa, no ar desde 2003, rendeu a Ellen 64 prêmios Emmy, além de outras 20 estatuetas.(Foto: Divulgação)

Ellen disse ainda ter descoberto sobre as denúncias pela imprensa: “E no começo eu não acreditei, porque eu sei o quão feliz todo mundo era aqui e como cada convidado fala: ‘Cara, você tem um ótimo lugar aqui. De todos os talk shows que fiz, todos aqui estão muito felizes’. Era só isso que eu ouvia. Quebrou meu coração quando soube que as pessoas aqui tiveram qualquer coisa além de uma experiência fantástica, que as pessoas foram feridas de alguma forma”.

Nessa reta final do programa, DeGeneres afirmou que tem participado mais das decisões por trás das câmeras. “Eu verifico agora o máximo que posso, em diferentes departamentos e me certifico de que as pessoas saibam que, se houver alguma dúvida, elas podem vir até mim… não sei por que isso nunca foi considerado antes. Eu não sou uma pessoa assustadora. Eu sou muito fácil de conversar. Então, todos nós aprendemos com coisas que não percebemos – ou eu não percebi – que estavam acontecendo. Só quero que as pessoas confiem e saibam que sou quem pareço ser. Eu sei quem eu sou. Eu sou uma boa pessoa”, desabafou por fim.

Relembre a polêmica

Desde julho de 2020, diversos funcionários e ex-funcionários do “The Ellen DeGeneres Show” fizeram relatos chocantes ao “BuzzFeed News” para denunciar o ambiente de trabalho tóxico do programa. Os ex-trabalhadores entrevistados foram demitidos após tirarem licenças médicas ou dias de luto para ir a funerais de família. Uma funcionária ainda decidiu sair do emprego após levar uma bronca por reclamar sobre racismo nos bastidores. Para o ‘Buzzfeed’, outros ainda disseram que foram instruídos por seus chefes diretos para não falar com a apresentadora se a vissem pela empresa.

A maioria dos ex-funcionários culpou os produtores-executivos do programa e outros gerentes seniores pela toxicidade do dia a dia, mas um deles chegou a dizer que a falta de controle de Ellen dá espaço para que isso aconteça. “Se ela quer ter seu próprio show e ter o nome dela no título, ela precisa se envolver mais com o que está acontecendo. Eu acho que os produtores executivos que a cercam devem dizer: ‘As coisas estão ótimas, todo mundo está feliz’, e ela apenas acredita nisso, mas é responsabilidade dela ir além disso'”, declarou.

Produtores do programa foram acusados de assédio e má conduta (Foto: Getty; Reprodução/Youtube)

Em outra matéria, eles denunciaram diretamente os produtores demitidos Ed Glavin, Kevin Leman, e Jonathan Norman sobre episódios de assédio, abuso, e má conduta sexual. Além das investigações do estúdio, a própria Ellen escreveu uma carta direta para os funcionários, desculpando-se pelo ocorrido e assumindo responsabilidade pelo caso.

Em meio ao escândalo, nomes de quatro famosos foram cotados para substituir a apresentadora no programa, enquanto celebridades se manifestavam em defesa dela. Somado a isso, a apresentadora ainda foi acusada de comandar a própria casa como “acampamento militar” e deixar “armadilhas” para sua equipe espalhadas pelo local. “Pior pessoa que eu já conheci na minha vida”, declarou uma ex-funcionária.