Encontro: Fátima Bernardes se emociona com desabafo ao vivo de Mirtes, mãe do menino Miguel: “Deixava faltar a mim, pra dar pra ele” – Assista

Nesta sexta-feira (05), Mirtes Renata Souza falou novamente sobre a triste morte de seu filho de 5 anos, Miguel Otávio, que caiu do nono andar de um edifício de luxo em Recife, na terça (02). A empregada doméstica participou do “Encontro com Fátima Bernardes” e deixou a apresentadora emocionada com seu relato sobre a perda.

“Eu peço que continuem orando por mim e pela minha mãe para que a gente tenha força para continuar lutando e para fazer justiça, para que a morte do meu filho não fique impune. Eu vou mover céus e terras, mas vou fazer justiça”, garantiu Mirtes.

Ela costumava dividir o quarto com o menino e, por isso, não conseguiu descansar desde seu falecimento. “Não estou conseguindo dormir no meu quarto porque quando eu olho para a cama do meu filho e vejo que ele não está aqui a dor aumenta mais ainda. Meu filho não vai mais dormir comigo. Ele era a minha vida, eu não sei o que vai ser da minha vida desde que meu filho partiu. Eu tô sem chão”, explicou, às lágrimas.

Mirtes, então, seguiu descrevendo o dia do trágico acontecimento, explicando por que levou Miguel para o apartamento de seus patrões, o prefeito de Tamandaré, Sérgio Hacker e a esposa Sari Gaspar Corte Real. “Na terça-feira, a minha mãe precisava sair para resolver umas questões de médico, ir ao banco. Aí, eu levei o meu filho para o trabalho, a minha patroa nunca teve nenhum problema em relação ao meu filho”, relatou.

“[Naquele dia] ela pediu pra eu chegar uma hora mais cedo porque precisava que eu olhasse a filha dela enquanto ela levava a mãe para o aeroporto. Aí eu fui com meu filho e, quando a menina acordou, eles ficaram lá brincando. Depois chegou a manicure e fez uma parte da unha porque ela precisou sair pro dentista porque tinha hora marcada e eu fiquei tomando conta das crianças”, relembrou.

Miguel era o único filho de Mirtes (Foto: Arquivo Pessoal)

A auxiliar doméstica, então, contou que esperou Sari voltar dos compromissos, para passear com a cachorrinha da família. Foi nesse momento que ela pediu para a patroa ficar de olho em seu filho. “Quando ela voltou eu falei que não ia levar as crianças pra passear com a Mel, a cachorra, porque elas não tavam se comportando. Aí ela disse: ‘Tá certo, vai-se embora que eu olho aqui’. Ele (Miguel) ficou chorando um pouco, mas eu disse que já voltava”, afirmou.

Quando voltou para casa, Mirtes já soube pelo zelador do prédio que alguém tinha caído e se deparou com o filho ao chegar ao local. Assim como já havia contado ao jornal NE1, da Rede Globo, ela relatou que o menino ainda estava vivo. “Nisso, chamaram o SAMU, chamaram a polícia porque tinha um batalhão próximo, mas a polícia não fez nada. O SAMU tava demorando, então veio um morador do prédio que é médico, viu o Miguel e disse que ele ainda tava vivo, mas precisava ser socorrido com urgência. Aí minha patroa subiu, pegou nossas coisas e a chave do carro e a gente socorreu o Miguel. No hospital, ele chegou com vida, mas veio a óbito”, lamentou.

A câmera de segurança do elevador do prédio filmou o momento em que a patroa, Sari Gaspar Corte Real, não só deixou o menino de cinco anos entrar ali, como também apertou um dos botões, deixando Miguel ir sozinho para o nono andar.

Sari foi autuada por homicídio culposo (Foto: Reprodução)

“Aquilo doeu tanto, eu perdi o meu filho por falta de paciência. Eu tinha tanta paciência com os filhos dela, ela confiava os filhos dela de olhos fechados a mim e a minha mãe, que trabalhava pra ela. Ela confiava totalmente na gente. Por uma questão nem de 10 minutos, ela não teve paciência com o meu filho. E não tirou meu filho daquele elevador e ainda apertou o botão pra ele ir lá pra cima”, desabafou Mirtes.

“Ela (Sari) foi no velório. Mas eu ainda não tinha visto a filmagem. Eu até estranhei a reação da minha irmã. Eu disse: ‘Gente, por favor, para. Eu quero paz no velório do meu filho. Quero respeito’. Tanto que quando eu cheguei, Sari tava lá, Serginho também, eu fui e abracei os dois, minha mãe também abraçou. A gente não tava sabendo o que realmente aconteceu”, expôs.

Quando assistiu à gravação, Mirtes revelou que sentiu uma angústia e decidiu ligar para a patroa. Sari apenas respondeu que não havia apertado o botão do elevador e que iria provar. “Ela pode provar se apertou ou não apertou, mas ela deixou o meu filho dentro do elevador, em risco. Ela não teve a capacidade de segurar a mão do meu filho e tirar dali. Se fosse a filha dela, eu teria tirado. Uma criança que não tinha noção de perigo. A única coisa que ele queria era a mim, a mãe dele, e ela não teve paciência”, lamentou.

Por fim, a mulher deu mais detalhes de como era a vida com o filho. “Era uma criança extremamente feliz. Eu fazia de tudo pra que ele fosse feliz. Dava o suporte básico a ele, educação, saúde e dava até um pouco mais, de acordo com as minhas condições financeiras. O que eu podia dar, eu dava. Às vezes eu deixava faltar a mim, pra dar pra ele”, afirmou.

Mirtes afirmou que fazia de tudo pelo filho (Foto: Arquivo Pessoal)

O depoimento fez Fátima Bernardes ter que segurar as lágrimas e, com a voz embargada, a apresentadora mandou uma mensagem para a mãe. “Mirtes, se eu posso te dizer alguma coisa é que o seu coração fique em paz por esse menino feliz que você teve por esse tempo com você e tenha a certeza que muitas lágrimas neste momento estão se juntando às suas e muitas orações também pra que você seja forte, consiga tocar sua vida em frente dentro da medida do possível. Estamos aqui pra pedir justiça, pra que o caso não seja esquecido”, declarou.

Assista:

Sarí foi autuada por homicídio culposo – quando não há a intenção de matar –  por ter agido com negligência. Após pagar uma fiança de 20 mil reais, a primeira-dama de Tamandaré responderá ao processo em liberdade. Segundo a Polícia Civil, ainda será feita uma análise mais apurada para saber se o condomínio também será responsabilizado legalmente pela morte de Miguel.