Jornalista faz confusão ao anunciar o horário ao vivo, viraliza e web se diverte: “Dos mesmos criadores de ‘Seis e ônibus'”; assista!

O jornalismo brasileiro e suas pérolas! Pouco mais de um ano após a memorável confusão de Carlos Tramontina no “Radar SP”, o jornalista Ricardo Ishmael também viralizou após um errinho ao anunciar o horário no “Jornal da Manhã” nesta terça-feira (17). Não vou mentir, adoro!

O telejornal da TV Bahia, afiliada da Rede Globo, apresentava notícias sobre o combate ao coronavírus. Tudo ia bem, até que o âncora fez uma pequena confusão ao vivo. “Sete horas e 17 municípios”, disse Ishamel, que logo percebeu o deslize e voltou atrás na sua informação. “E 17 minutos, pra você que está chegando agora”, corrigiu o jornalista. Olha só:

Quem nunca teve um bug desses, né? Carlos Tramontina que o diga! Em fevereiro de 2019, o jornalista entrou ao vivo na programação da emissora e também teve de anunciar o horário – mas acabou trocando as bolas. “Seis e ônibus”, soltou o âncora no boletim “Radar SP”, antes de acertar ‘relógio’: “Seis e onze. Os ônibus da Capital…”. Relembre o momento hilário:

Pelas redes sociais, os internautas se divertiram muito com a cena, sendo inevitável fazer a comparação entre os dois episódios. “Dos produtores de “seis e ônibus”, chegou ele: SETE HORAS E DEZESSETE MUNICÍPIOS”, brincou um perfil no Twitter. Enquanto outro espectador acredita que esta é “A Batalha do Século”. Olha só:

As várias “gafes” e memes do jornalismo também foram relembrados, com a chegada do novo viral. Uma conta no Twitter recordou de outras cenas hilárias, como quando a apresentadora Cristina Ranzolin, do gaúcho “Jornal do Almoço”, derrubou seu tablet e disse “derrubei meu c*”, e quando uma entrevistada disse “Boa noite, Batman” a Luiz Bacci no “Cidade Alerta”. Como não dar risada? Assista:

Mas a reinvenção do relógio por Ricardo não passou despercebida e foi lembrada por um perfil. “O Ishmael decretou uma hora nova no nosso relógio”, brincou. E o próprio jornalista levou o assunto na boa e comentou sobre como não perdeu a compostura no ar. “A gente erra, mas a gente não perde o rebolado e segue em frente!”, respondeu ele. Ícone! Vem ver:

Depois do “Seis e ônibus” e do “Sete horas e dezessete municípios”, que venha o “Oito horas e alguma coisa”, né?