Novela Imperador Bolsonaro

Novela da TV Globo faz piada com falas de Bolsonaro sobre beneficiar filhos e “filé mignon”; assista!

A atual novela das seis da TV Globo pode até se passar no século XIX, mas suas alfinetadas são bem contemporâneas… O capítulo desta segunda-feira (4) de “Nos Tempos do Imperador” fez piada com falas de Jair Bolsonaro. O colunista do UOL, Mauricio Stycer, apontou como o episódio referenciou comentários do presidente de 2019, quando ele falou sobre beneficiar seus filhos.

Na novela, o deputado Tonico Rocha (Alexandre Nero) pede ajuda à Lota Pindaíba (Paula Cohen) numa questão pessoal. Contudo, a personagem apenas aceita a proposta em troca de um cargo público para seu filho. “Eu sempre digo isso, uma mão lava a outra”, diz Lota. “O que que a senhora quer?”, questiona o deputado. “Nada, uma coisinha de nada. Eu quero um cargo pro Bernardinho, porque meu filho precisa de uma ocupação, deputado”, responde ela.

Continua depois da Publicidade

“Ter um cargo no governo com um salário gordo nunca é demais. E o Bernardinho só precisa de um empurrãozinho mesmo”, continua Pindaíba. É então que o político concorda com a proposta e mostra seu desdém para com o povo. “O dinheiro não é meu mesmo, é do povo”, menciona ele. Olha só:

Após cumprir sua parte no combinado, Lota retorna até Tonico para garantir que ele também cumpriria o trato. “Ótimo. O seu filho vai receber uma bela de uma mamata”, garante o deputado, usando aquele termo bastante atual na política brasileira. Até que a mulher sugere uma outra ideia para beneficiar seu filho. “Dava pra ser embaixador? Nem sei o que eles faz, mas eu acho pomposo. Imagina? Embaixador na América!”, considera ela.

Continua depois da Publicidade

Tonico acha graça da ideia e cai na gargalhada: “Embaixador na América? Não acha que é muita coisa pra aquele cabeça oca, não?”. É exatamente neste momento que Lota solta frases similares às ditas por Bolsonaro. “Que mãe que não ia querer oferecer o filé mignon pro filho?”, pergunta ela. Mas o deputado foge da ideia, lembra que o “filé mignon” nem é dela e ressalta a incapacidade do rapaz para assumir o cargo. “Se o filé fosse seu… Esquece, que aquele estrupício não sabe nem falar a nossa língua, vai fazer vergonha lá no estrangeiro. Eu vou arrumar um negócio, uma coisa pra ele”, encerra o personagem.

Assista ao trecho abaixo:

Eduardo Bolsonaro e a embaixada dos Estados Unidos

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL) foi cotado para assumir a embaixada do Brasil nos Estados Unidos no ano de 2019. Havia a dúvida se o presidente realmente indicaria seu terceiro filho ao cargo. Em meio aos questionamentos, o chefe de Estado confirmou sua intenção em uma live no mês de julho, e fez os comentários de que não negaria dar um “filé mignon” ao filho.

Continua depois da Publicidade

“Lógico que é filho meu. Pretendo beneficiar um filho meu, sim. Pretendo, está certo? Se puder dar um filé mignon ao meu filho, eu dou. Mas não tem nada a ver com filé mignon essa história aí. Nada a ver. É, realmente, nós aprofundarmos um relacionamento com um país que é a maior potência econômica e militar do mundo”, afirmou o presidente Bolsonaro.

Alguns dias antes, o próprio filho do presidente saiu em defesa dessa ideia e alegou que não haveria nepotismo no caso. “É difícil falar de si próprio, mas não sou um filho de deputado que está, do nada, vindo a ser alçado a essa condição. Existe muito trabalho sendo feito, sou presidente da Comissão de Relações Exteriores [da Câmara], tenho uma vivência pelo mundo, já fiz intercâmbio, já fritei hambúrguer lá nos Estados Unidos no frio do Maine, no frio do Colorado… Eu acho que é um trabalho que pode ser desenvolvido”, disse ele.

Por fim, em outubro de 2019, Eduardo anunciou que havia desistido de tentar um posto na Embaixada do Brasil nos Estados Unidos. Na ocasião, o deputado federal afirmou que a decisão não teria sido fácil, mas que ficaria no país e apoiaria as pautas defendidas por seu pai na presidência.