Record é condenada a pagar multa milionária por destruir patrimônio histórico nacional durante gravações de “Rei Davi”; veja as fotos!

A Record TV terá que pagar uma multa de R$ 2 milhões após danificar um sítio arqueológico de Minas Gerais durante as gravações de uma minissérie. O caso ocorreu em 2012, durante as filmagens de “Rei Davi” na cidade de Diamantina, mais precisamente na região da Serra do Pasmar. A emissora foi denunciada por ter pintado com tinta branca diversas áreas que reuniam artes pré-históricas de mais de 10 mil anos para transformar em cenários para a produção.

O canal foi condenado em segunda instância, mas ainda alega não ter qualquer envolvimento com o ocorrido, já que a prova pericial foi realizada dezenove meses após o encerramento das gravações da série. Outro argumento apresentado no processo foi que a Record gerou benefícios ao município de Diamantina, tais como o acréscimo no turismo e projeção nacional, e que por isso não deveria pagar indenização por danos sociais.

Por fim, a empresa ainda acrescentou que eles não sabiam que os locais utilizados eram sítios arqueológicos e que não receberam nenhuma orientação ou informação sobre isso. Nas fotos anexadas ao processo, é possível ver que além de pintar os registros históricos, diversos respingos de tinta foram encontrados nas rochas. Segundo a justiça de Minas Gerais, “Rei Davi” foi gravada sem autorização do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Os desembargadores do Tribunal de Justiça de Minas não aceitaram a defesa do canal e estabeleceram o prejuízo em R$ 2 milhões, sendo R$ 1 milhão por danos sociais difusos e R$ 1 milhão “por ter causado inegável dano ao patrimônio histórico nacional, sequer completamente conhecido e catalogado”. Procurada pelo Buzzfeed News, a empresa não respondeu se irá recorrer nos tribunais superiores.